Wirelink investe para se consolidar no mercado de redes neutras

Com 40 mil km de backbone DWDM, a Wirelink Telecom se posiciona para disputar o mercado de redes neutras. A empresa vem trabalhando com esse conceito desde 2019 e quer consolidar sua presença em todo o país. Para isso, afirma o diretor de Vendas, Vanderson Santana, a operadora vai investir mais de R$ 100 milhões este ano para reforçar sua rede no Sudeste e Centro-Oeste.

Para 2022, a meta é atingir todo o Brasil com a expansão para a região Sul, prevê Santana. A empresa, com sede no Ceará, tem forte presença na região Nordeste e já ocupa grande parte dos estados do Norte e a meta é atingir todo o país. Os clientes são provedores de banda larga, governo, empresarial e operadoras. Além do backbone, a operadora tem redes metropolitanas próprias que a permite oferecer também serviços de backhaul.

Em 2020, a rede da Wirelink cresceu 50% em extensão, mas o volume de dados trafegados teve alta de 100%, com a  demanda elevada em decorrência da pandemia do coronavírus. Nesse ano, foram investidos R$ 100 milhões na expansão, já que a qualidade, a escalabilidade e a capacidade tinham sido garantidas com investimentos realizados em 2019. “Nossa rede é 100% eletrônica e estamos preparados para receber tráfego acima de 4 terabites”, afirma Santana.

Para crescer de forma sustentável, a Wirelink apostou na governança e no planejamento, que foram suficientes para superar desafios como a queda da demanda no mercado corporativo, em função da crise econômica gerada pela pandemia, alta dos preços dos insumos, com a desvalorização do real, e a dificuldade em captar recursos de forma sustentável.

Para esse ano as dificuldades continuam e a Wirelink já pensa em operações de equity, IPO (oferta pública de ações) e debêntures incentivadas, além da dívida direta, que é a contração de empréstimos nos bancos. “Nossa empresa é auditada e segue todas as boas práticas de governança”, ressalta Santana.

A Wirelink continua sem planos de atuar diretamente no varejo. Segundo Santana, empresas associadas – a Ora Telecom e a TIX Telecom – já operam no mercado residências nos estados do Nordeste e têm planos de expansão para outras regiões.

5G

Mesmo sem acesso ao espectro do 5G, a Wirelink acredita que terá espaço nessa nova tecnologia, em função da rede capacitada que detém. Para Santana, o backbone robusto da empresa, que nasceu com escalabilidade, está pronto para atender as necessidades de tráfego da nova tecnologia e torce para que ela venha o quanto antes.

FONTE: TeleSíntese
Por mais esta excelente publicação, agradecemos.