WhatsApp terá ferramenta contra boatos para Eleições 2020

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) anunciou nesta quarta-feira, 30, parceria com o Facebook e o WhatsApp para combater a desinformação e abusos durante as eleições 2020. O acordo faz parte de uma série de medidas tomadas pelo tribunal para incentivar a circulação de informações oficiais sobre o processo eleitoral – ontem, foi assinado acordo sobre o mesmo tema com as operadoras de telecomunicações.

Segundo o presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, as plataformas devem fazer valer suas regras de conteúdo para evitar o uso abusivo dos serviços, o que é ainda mais importante em períodos eleitorais. Durante evento virtual ocorrido nesta manhã, ele lembrou que esses meios são utilizados com para obter vantagem ilícita, para difamar pessoas, desconstruir componentes essenciais da democracia que é a informação verdadeira.

O presidente do TSE afirmou que o objetivo da parceria é eliminar a circulação de notícias falsas, enfrentar os comportamentos inautênticos coordenados, o uso indevido de robôs, impulsionamentos ilegais e uso de perfis falsos que espalham notícias falsas.

Facebook e Instagram

A parceria com o Facebook prevê a disponibilização da ferramenta “Megafone” para divulgação, nos dias anteriores à eleição, de mensagens aos usuários brasileiros no Feed de Notícias sobre as eleições de 2020, especialmente acerca da organização e das medidas de segurança sanitária no dia da votação.

No Instagram, haverá divulgação da campanha sobre mais mulheres na política, que o tribunal apresentará à sociedade em outubro. “A cooperação com o TSE é parte fundamental dos esforços para garantir a integridade das eleições nos aplicativos do Facebook”, afirma o diretor de Políticas Públicas do Facebook Brasil, Murillo Laranjeira.

WhatsApp

O acordo de cooperação com o WhatsApp prevê a criação de um chatbot no serviço para ajudar na circulação de dados oficiais do TSE sobre o processo eleitoral e a votação. A ferramenta foi desenvolvida na API do WhatsApp Business, gratuitamente, pela integradora Infobip.

A intenção do chatbot é auxiliar na comunicação direta com os eleitores. Para acessá-lo, o usuário deve adicionar o número +55 61 9637-1078 na lista de contatos ou acessar o serviço através do link wa.me/556196371078 para iniciar uma conversa com o canal interativo, que reúne as principais informações das eleições.

O WhatsApp permitirá que o TSE envie mensagens sobre cuidados sanitários e para rebater informações falsas durante a campanha para eleitores que se cadastrarem em todas as ferramentas do tribunal.

Também será estabelecido um canal de comunicação específico com o TSE para denunciar contas suspeitas de realizar disparos em massa, o que não é permitido nos Termos de Serviço do aplicativo nem pela legislação eleitoral.

Recebidas as denúncias, o WhatsApp conduzirá uma apuração interna para verificar se as contas indicadas violaram as políticas do aplicativo e, se for o caso, bani-las. O canal será desativado em 19 de dezembro com o fim do processo eleitoral deste ano.

“O WhatsApp tem feito mudanças importantes de produto para reduzir a disseminação de mensagens virais, as quais podem incluir conteúdos falsos. Nestas eleições, o WhatsApp trabalha próximo ao TSE para coibir o uso irregular do aplicativo”, diz o diretor de Políticas Públicas para o WhatsApp no Facebook Brasil, Dario Durigan, que participou das conversas com o TSE.

FONTE: TeleSíntese
(Acesse o website do autor da publicação para mais detalhes)