Uber vai gravar vídeo durante as corridas em Aracaju

A Uber anunciou esta semana que deu início a um projeto-piloto de gravação de vídeo durante viagens com o aplicativo em Aracaju. O recurso será ativado por meio de um app parceiro. Os motoristas vão usar a própria câmera do celular para gravar todas as viagens realizadas, quando desejarem.

Se o projeto for considerado bem-sucedido, será implementado em todo o Brasil. Quem decide se a viagem será ou não gravada é o motorista. Os usuários conectados aos motoristas participantes do teste também serão informados que sua viagem pode estar sendo gravada. Caso discordem, deverão cancelar a viagem e buscar outro motorista.

O projeto-piloto começará com um grupo reduzido e será aos poucos expandido até chegar a todos os motoristas parceiros de Aracaju. Os motoristas poderão escolher participar ou deixar esse piloto a qualquer momento.

Segundo a diretora-geral da Uber no Brasil, Claudia Woods, a iniciativa tem o objetivo de ampliar a segurança das corridas. Ela afirma que há respeito às normas de privacidade.

Nas viagens do Uber, o som dentro do já é gravado. A empresa afirma que a gravação em vídeo seguirá os mesmo protocolos: o arquivo permanecerá criptografado no celular do motorista, sem que ninguém possa acessá-la – nem o próprio motorista, que não possui a chave da criptografia.

Quando o motorista enviar o arquivo (via WiFi ou rede móvel), este ficará armazenado com a empresa parceira provedora da solução, que terá acesso às informações básicas do motorista, data e horário da gravação – sem qualquer dado do usuário que chamou a corrida.

Se, mais tarde, o motorista decidir abrir uma reclamação de segurança, ele terá a opção de adicionar o vídeo em questão. Só então a Uber – que tem a chave da criptografia – terá acesso às imagens. Além do chamado aberto pelo próprio parceiro para solicitar uma investigação à Uber, só as autoridades competentes podem solicitar acesso às imagens para a Uber, na forma da lei, frisa a empresa. (Com assessoria de imprensa)

FONTE: TeleSíntese
Mais uma vez, agradecemos aos autores originais desta publicação.