Telefônica terá sócio para unidade de fibra ainda este ano, diz Gebara

O CEO da Telefônica Brasil, Christian Gebara, avisou hoje, 28, durante conferência de resultados da companhia, que espera fechar um acordo para a criação da empresa dedicada à construção de infraestrutura FTTH no país ainda em 2020.

Segundo ele, neste momento há vários interessados com acesso livre ao data room da companhia, que vem respondendo a dúvidas dos potenciais investidores. Daqui em diante, a assinatura do contrato de sociedade deve sair rápido, uma vez que a intenção é iniciar a operação da unidade o quanto antes no próximo ano.

“Colocamos em ação nosso projeto de Infraco, e temos vários interessados em ser parte do projeto. No final do ano esperamos fechar e estar totalmente operacionais para 2021. Este processo está indo bem, temos investidores no data room, e nos próximos meses seremos capazes de assinar e operacionalizar”, afirmou.

Segundo o executivo, a Telefônica Brasil não descarta a expansão da rede de FTTH por meio da aquisição de provedores ou mesmo de outras empresas de maior porte. Mas, disse, as análises da Vivo não indicaram nenhum ativo complementar que valha à pena.

“Quanto a possíveis aquisições, não vimos nenhum ativo interessante para nossa expansão, em linha com nossa estratégia. Podemos fazer expansão por aquisição, mas vamos sempre analisar para ver se faz sentido”, reiterou.

Capex reduzido

Gebara ressaltou que a companhia está mudando a estratégia de investimentos em infraestrutura. A busca por um sócio é uma etapa desse movimento. No passado, a empresa fechou acordo com a American Tower para construção de rede de acesso FTTH em Minas Gerais, que vai originar 800 mil homes passed (domicílios aptos a assinar banda larga por fibra).

O CEO da Vivo disse que contrato semelhante acaba de ser fechado com a Phoenix Towers. Mas não detalhou os termos, extensão e prazos. Segundo ele, tudo faz parte do plano de expandir a rede gastando menos.

A iniciativa vem dando resultados. Os planos da Vivo eram terminar 2020 com 14,5 milhões de HPs, mas a meta já foi alcançada neste trimestre. E agora a companhia espera chegar a 31 de dezembro com 16 milhões de HPs. Até 2024, serão 24 milhões.

Entre julho e setembro, a Vivo Fibra chegou em 28 novas cidades, totalizando 244 municípios ao final de setembro, com 14,6 milhões de domicílios cobertos em todas as regiões do país.

Tecnologia

Gebara comentou ainda sobre a rival Net (Claro), que tem a maior parte dos usuários em tecnologia coaxial de banda larga fixa. Segundo o executivo, a pandemia provou a resiliência da fibra e sua capacidade de entregar antas velocidades de download, de upload e facilitar o que chamou de uso paralelo em casa, quando várias pessoas acessam a rede ao mesmo tempo.

A seu ver, a Net está pior posicionada onde tem o cabo coaxial, uma vez que esta tecnologia não tem as mesmas capacidades. “A pandemia foi o clímax da necessidade por velocidade, em upload, download e uso paralelo. A fibra tem vantagem nisso e se destacou como melhor alternativa. E o número de adições que tivemos prova a força da nossa proposta. É difícil comparar operadoras, porque eles podem estar colocando fibra onde não estamos. Mas em tecnologia, é clara a vantagem da fibra sobre o coaxial”, concluiu.

FONTE: TeleSíntese
Mais uma vez, agradecemos aos autores originais desta publicação.