Tamanho do kernel Linux 5.13-rc5 é médio e causa algumas preocupações

Ainda não há nada para se assustar, porém, o tamanho do kernel Linux 5.13-rc5 é médio e causa algumas preocupações no principal responsável pelo projeto, Linus Torvalds. Esta versão caminha muito bem para chegar estável no final deste mês. Porém, isso depende do andamento dos trabalhos daqui para frente, pois é preciso observar como o desenvolvimento do kernel vai se desenrolar até lá. Caso haja algum problema, a versão estável só chegará no início de julho.

O Linux 5.13 tem estado bastante movimentado com mudanças e Torvalds notou no anúncio deste final de semana que embora este -rc5 tenha um tamanho “razoavelmente médio”, o ciclo ainda não se acalmou. Ele espera agora que, à medida que avançamos em direção ao 5.13-rc6, as coisas se acalmem.

Tamanho do kernel Linux 5.13-rc5 é médio e causa algumas preocupações

Tamanho do kernel Linux 5.13-rc5 é médio e causa algumas preocupações

Sobre as mudanças desta semana, Linus escreveu no anúncio do 5.13-rc5:

A rede (tanto os drivers quanto o código de rede central) é mais uma vez responsável por uma grande parte das correções no rc5, mas certamente há um bom número de correções em outras arquiteturas (arm64 tem principalmente atualizações de dispositivos, mas temos correções para x86, mips, powerpc também), outros drivers (as correções de driver de GPU se destacam, mas também há som, HID, scsi, nvme .. você escolhe). E também temos várias correções em outros lugares: sistemas de arquivos (btrfs, ext4, gfs2, ocfs, fanotify), algumas correções básicas de vm e algumas atualizações de ferramentas de autoteste e perf.

Alguns itens que também sofreram alterações durante a semana passada foram o kernel x86/x86_64 agora sempre reservando o primeiro 1 MB de RAM incondicionalmente para contornar alguns problemas incômodos. Além disso, Intel ENQCMD/ENQCMDS foi desativadopelo kernel até que seu código de software possa ser devidamente corrigido. Há também a mudança em 5.13-rc5 da otimização “-O3” para WireGuard sendo desabilitada sobre aquele nível de otimização agressivo sendo considerado muito inseguro para o kernel.

Sobre a reserva de RAM

O kernel Linux já atendia aos gráficos Intel Sandy Bridge acessando a memória abaixo da marca de 1 MB, os primeiros 64 K de memória são conhecidos por estarem corrompidos por alguns BIOSes e problemas semelhantes surgindo nessa área de pouca memória. Mas ao invés de lidar com toda essa lógica e outros casos de nicho possíveis além do frame-buffer EGA/VGA e BIOS, o kernel está jogando com segurança e sempre reservando o primeiro 1 MB de RAM para não ser destruído pelo kernel.

A motivação agora para o Linux 5.13 em conseguir aquela reserva incondicional de 1 MB no lugar para Linux x86/x86_64 deriva de um relatório de bug em torno de um sistema AMD Ryzen que não pode ser inicializado no Linux 5.13 desde a mudança para consolidar o tratamento das reservas de memória anteriores. Apenas fazer incondicionalmente o primeiro 1 MB torna as coisas muito mais simples de manusear.

A mudança foi enviada como parte de x86/urente . “Acabar com toda a baboseira de reservar uma quantidade X de memória no primeiro megabyte para evitar que o BIOS o corrompa e de forma simples e incondicional reservar todo o primeiro megabyte.“

Via Phoronix

FONTE: Blog SempreUpdate
Por mais esta excelente publicação, agradecemos.