Red Hat Enterprise Linux 7.9 é a última atualização do RHEL 7

Red Hat Enterprise Linux 7.9 é a última atualização do RHEL 7Demorou mais do que o esperado, mas em 2014, o Red Hat Enterprise Linux (RHEL) 7.0 foi finalmente lançado. Tornou-se uma das distribuições Linux de negócios mais influentes de todos os tempos. Agora, com o lançamento do RHEL 7.9, chega ao fim a história do RHEL 7.x. Veja a seguir mais detalhes sobre o Red Hat Enterprise Linux 7.9.
Você não precisa ter muita pressa para migrar do RHEL 7.x. RHEL 7.9 terá suporte até 30 de junho de 2024. Esta é a última versão secundária do RHEL 7, pois o RHEL 7 entra na fase de Suporte de Manutenção 2. Durante esta fase, os Avisos de Segurança (RHSAs) de impacto Crítico e Importante definidos pela Red Hat e selecionados (a critério da Red Hat) Avisos de Correção de Bugs de Prioridade Urgente (RHBAs) podem ser lançados assim que estiverem disponíveis. Outros avisos de errata também podem ser entregues.
O RHEL 7.9 também vem com o Kpatch. Com este programa de patch, você pode atualizar seus kernels RHEL 7 “live” sem reiniciar.

Red Hat Enterprise Linux 7.9 é a última atualização do RHEL 7

Red Hat Enterprise Linux 7.9 é a última atualização do RHEL 7
É difícil acreditar que introduzimos o Red Hat Enterprise Linux 7 (RHEL 7) no mercado há mais de seis anos. O RHEL 7 equilibrou a necessidade da empresa por estabilidade e compatibilidade com a necessidade de inovação tangível. Na disponibilidade geral, acreditamos que dissipamos o mito de que o sistema operacional é “apenas uma mercadoria” e redefinimos o sistema operacional Linux.
O último RHEL 7.x também inclui um perfil de protocolo de automação de conteúdo de segurança (SCAP) para o benchmark do Centro de Segurança da Informação (CIS). Além disso, possui correções de bugs selecionadas. O primeiro pode ser muito útil se o seu CIO ou CISO exigir provas mensuráveis de seus esforços de segurança.
O RHEL 7.9 também permite que você faça atualizações no local com o LEAPP. Este é um programa de interface de linha de comando (CLI). Então, você pode usá-lo para facilitar a atualização de sistemas Linux de produção.

Antes de dar adeus ao RHEL 7, é interessante lembrar as muitas inovações que ele trouxe ao RHEL e ao Linux. Isso inclui:

As coleções de software da Red Hat fornecem os últimos tempos de execução estáveis e ferramentas de desenvolvimento para desenvolvimento e implantação de aplicativos modernos. RHEL 8 desenvolvido com base no Application Streams – a próxima geração de ferramentas e bibliotecas para programadores de pacotes;
As funções do sistema RHEL facilitam a execução de tarefas complexas ou rotineiras do sistema, como estabelecer um sistema de armazenamento. O RHEL 8 expandiu isso para incluir registro e gravação de sessão;
RHEL 7 adicionou contêineres Docker. Embora o Red Hat ainda suporte Docker, desde então, ele adicionou a próxima onda de ferramentas de desenvolvimento de contêiner baseadas em padrões abertos, como BuildahSkopeo e Podman;
Systemd.  O RHEL 7 foi a primeira grande distribuição Linux comercial a migrar para a estrutura de inicialização do sistema Systemd a partir do init do System V Unix da geração anterior. Embora muitos critiquem, o Systemd se tornou o mecanismo de inicialização de sistema padrão para a maioria das distribuições Linux;
console da web Red Hat Enterprise Linux tornou muito mais fácil para novos administradores de sistema gerenciar tarefas básicas do sistema.

Junte tudo isso e ficará claro que o RHEL 7 foi um grande passo nas distribuições Linux corporativas. Não é de se admirar que a IDC tenha descoberto que a Red Hat é a escolha líder para Linux pago no mercado mundial de servidores. Assim, possui mais de 33% do total de sistemas operacionais corporativos pagos. O RHEL 7 foi um grande motivo para isso. Então, mesmo agora, a RHEL 7 continua a ser uma parte importante do mundo empresarial Linux.

FONTE: Blog SempreUpdate
Por mais esta excelente publicação, agradecemos.