Project Reunion deve levar ao fechamento da Microsoft Store

Project Reunion deve levar ao fechamento da Microsoft StoreA Build 2020 da Microsoft foi marcada muitas novidades em relação ao código aberto e ao Linux, estas, na verdade, as grandes estrelas no evento da empresa. Nunca, desde que a Microsoft realizou sua primeira Build Developers Conference em setembro de 2011, o Linux teve esse destaque. Porém, outro fato chamou a atenção. Na conferência virtual Build 2020 da semana passada, quase nove anos depois, a empresa ainda estava tentando limpar a bagunça depois de um experimento que deu terrivelmente errado. Isso depois de todo o esforço de limpar a barra também com o Linux. Conheça, portanto, o Project Reunion que deve levar ao fechamento da Microsoft Store.
Se você não se lembra da Build 2011, vamos refrescar sua memória: foi quando a Microsoft lançou o chamado Developer Preview do Windows 8. Foi a primeira vez que o mundo conheceu a intenção da empresa de desenvolver um novo sistema operacional capaz rodar em hardware que foi projetado para competir com o iPad da Apple.
O que tornou o Windows 8 diferente foi a promessa de ponte entre os dois mundos. Ele executaria todo o seu software Win32 existente. Porém, o grande diferencial era a capacidade de executar os chamados aplicativos modernos que ocupariam a tela inteira ou poderiam ser encaixados ao lado de outro aplicativo.
Project Reunion deve levar ao fechamento da Microsoft StoreOs aplicativos “modernos” incluídos no Windows 8 Developer Preview eram aplicativos de demonstração criados por estagiários
E esse é considerado apenas o primeiro de muitos erros que condenaram o Windows 8 e os engenheiros que trabalharam em seus sucessores a anos de serviço de limpeza.

Project Reunion deve levar ao fechamento da Microsoft Store

A visão da Microsoft era que as duas famílias de aplicativos seriam separadas, mas desiguais. Os aplicativos modernos, executados em hardware habilitado para toque, usando a interface do usuário Metro, representavam o futuro e eventualmente substituiriam os aplicativos de desktop herdados que foram a base da revolução do PC por várias décadas.
Os clientes da Microsoft disseram: “Não é tão rápido”. Esses aplicativos de demonstração foram substituídos no próximo ano por aplicativos melhores (mas ainda pouco potentes), escritos por profissionais. Depois de experimentar esses aplicativos, a maioria dos clientes formou a percepção geral de que os aplicativos Win32 herdados (incluindo os aplicativos Office da Microsoft para desktop) eram para “trabalho real”, enquanto os aplicativos modernos eram fracos, estúpidos e geralmente não valiam o esforço.

Portanto, se a primeira impressão é a que fica, ela não foi das melhores.

A tentativa de mudança com o Windows 10 (e Linux, claro)

Com o lançamento do Windows 10, há cinco anos, a Microsoft tentou tornar esses aplicativos modernos mais agradáveis, permitindo que eles rodassem em janelas redimensionáveis ao lado de aplicativos de desktop nativos. Entretanto, os usuários continuaram longe da Microsoft Store, preferindo aplicativos de desktop, como o Microsoft Office e Adobe Photoshop e QuickBooks etc.
Não ajudou que a empresa continuasse dizendo aos desenvolvedores para jogar fora seu código e criar novos aplicativos. A Plataforma Universal do Windows (UWP) foi uma aposta que não andou muito para dispositivos móveis. Quantos desenvolvedores de aplicativos de produtividade querem que eles também executem nos consoles Xbox ou nos fones de ouvido HoloLens?

É aí que chega o Project Reunion

Há muito tempo, a Microsoft renomeou a API do Win32 para apenas API do Windows. E agora está lançando essa mesma API com a API da UWP para que os desenvolvedores possam adicionar recursos modernos sofisticados, como o painel Compartilhar, aos seus aplicativos de desktop.
Project Reunion deve levar ao fechamento da Microsoft Store
Essa é uma daquelas ideias tão óbvias que você se pergunta por que isso não aconteceu antes e lembra que o sonho móvel ainda estava vivo para a Microsoft em 2015. Você também pode olhar para a Apple, que está se arrastando em seus esforços para transformar o iPad em um substituto para o MacBook. Então, não é difícil perceber que tentar unificar os mundos de desktops móveis é muito mais difícil do que parece.
Se você quiser ver exemplos lado a lado de quão longe a Microsoft saiu da pista e quanto trabalho foi necessário para corrigir o curso, não procure mais do que os navegadores padrão do Windows em 2013 e 2020.
Há sete anos, o Windows 8 tinha dois Internet Explorer: o aplicativo de desktop clássico, com suporte a recursos antigos como ActiveX, e uma versão em tela cheia, habilitada para Metro, que funcionou bem na sandbox do Windows 8, mas estava muito fora de lugar em um PC de mesa ou laptop sem tela sensível ao toque.
A Microsoft chegou a convencer a Mozilla e o Google a desenvolver navegadores no estilo Metro antes de puxar o tapete de todos.

Avançando para 2020 e o Microsoft Edge

O novo navegador padrão para Windows 10 baseado no mecanismo de código aberto Chromium, consegue incorporar esses recursos modernos. Ele oferece suporte a dispositivos de tela sensível ao toque sem afastar os fãs dos aplicativos de desktop nativos.

A peça que falta é o Project Reunion

Observe que o novo Edge não é entregue pela Microsoft Store, mas chega por um mecanismo muito convencional, como um arquivo de instalação para download.
Esse não é um detalhe menor. A Microsoft nem está tentando enviar seu novo navegador ou seu produto de software mais lucrativo (Office/Microsoft 365) através da Loja. Essas decisões não são um voto de confiança na Loja como modelo para a entrega de aplicativos em pacotes, especialmente para consumidores e pequenas empresas.
Na documentação do  GitHub para o Project Reunion, a Microsoft basicamente mostra como os novos aplicativos chegarão aos desktops dos clientes:
Seu aplicativo não precisa ser empacotado para usar a funcionalidade Reunião do Projeto. … Se você possui seu próprio instalador, teremos instruções para transportar os componentes do Project Reunion com seu aplicativo e como instalá-los usando alguns instaladores comuns. … Algumas partes do Project Reunion funcionam melhor se o seu aplicativo for um aplicativo UWP, ou Desktop Bridge, ou tiver identidade.
Ao que parece, a Microsoft Store for Business está prestes a ser preterida. Assim, o futuro da Microsoft Store para consumidores e pequenas e médias empresas é incerto.
E essa é a peça que faltava no quebra-cabeça do Project Reunion. A Microsoft tem sido razoavelmente bem-sucedida na criação de ferramentas que fazem seus desenvolvedores felizes, incluindo um novo Gerenciador de Pacotes do Windows, que simplifica a tarefa de manter uma estação de trabalho de desenvolvimento.
Ajudar os desenvolvedores a escrever novos aplicativos é uma coisa. O grande desafio é convencer os clientes a adotar esses novos aplicativos como substitutos de seus aplicativos nativos para desktop e serviços baseados na Web.
ZDNet

FONTE: Blog SempreUpdate
Por mais esta excelente publicação, agradecemos.