Pietro Labriola: lei precisa definir onde termina a responsabilidade da operadora e onde começa a da empresa que fornece um serviço

Pietro Labriola, CEO da TIM e presidente da Conexis, no painel Telebrasil - Foto: Divulgação
Pietro Labriola, CEO da TIM e presidente da Conexis, no painel Telebrasil – Foto: Divulgação

Se o usuário tem um serviço que não funciona, não necessariamente é culpa da operadora. Por isso é necessário que a lei se ajuste a essa situação. Foi o que disse Pietro Labriola, CEO da TIM e presidente da Conexis, em keynote no painel Telebrasil, nesta terça, 21.

“Então precisamos ter uma regra para saber onde termina a responsabilidade da operadora e onde começa a responsabilidade da empresa que fornece um serviço”, falou Labriola.

Ele se referiu a casos em que o usuário não consegue acessar algum serviço de streaming, ou rede social, nem contato com a empresa, e põe a culpa na operadora.

“Antes, as regras para o futuro eram feitas com base no passado. Hoje não deveria ser assim”, disse o CEO da TIM.

O assunto veio à tona quando ele se referia às possibilidades envolvendo a nova tecnologia. “Uma lei construída no passado, pensando no passado, não permite que utilizemos todo o potencial do 5G”, concluiu.

 

FONTE: TeleSíntese
(Excelente website de notícias! Recomendo!)