Página da iniciativa Rede Limpa, dos Estados Unidos, sai do ar após a posse de Biden

As páginas do site do Departamento de Estado dos Estados Unidos e do site da Casa Branca que se referem à doutrina Rede Limpa (Clean Network) saíram do ar hoje, 20, após a posse de Joe Biden como novo presidente do país.

Bandeira do ex-secretário de Estado Mike Pompeo e do ex-presidente Donald Trump, a política de “Clean Network” previa que as operadoras de telecomunicações abandonassem o uso de equipamentos feitos por empresas chinesas, de ponta a ponta. E cobrava a adesão de outros países aliados dos EUA. O governo do Brasil chegou a sinalizar apoio, mas nunca concretizou a adesão.

Não está claro, porém, se o novo secretário de Estado norte-americano, Anthony Blinken, vai abandonar completamente a doutrina ou elaborar uma nova iniciativa a fim de reduzir o predomínio chinês no mercado de infraestrutura de telecomunicações.

Durante o governo Trump, o ex-secretário Pompeo alegava que a China controlava militarmente a iniciativa privada e usava as empresas globalizadas para realizar espionagem. Tais afirmações nunca foram comprovadas. Sempre foram desmentidas pelas empresas citadas – especialmente a Huawei, alvo prioritário dos ataques verbais da dupla.

Os planos de Biden para o setor de telecomunicações ainda estão sendo traçados. As páginas oficiais, renovadas hoje, ainda estão ganhando novos conteúdos. Por enquanto, sem menções ao setor e à 5G. As prioridades determinadas por Biden, no momento, dizem respeito ao combate à Covid-19, à obtenção de estímulos para a economia, à imigração, e à recondução dos EUA, conforme o discurso oficial, à liderança global. Para isso, diz o documento, haverá busca por alianças democráticas em defesa dos direitos humanos.

A expectativa é que nos próximos dias Biden publique mais de uma dezena de decretos desfazendo ordens do ocupante anterior da cadeira presidencial. Conforme a Casa Branca, o foco deve recair sobre medidas urgentes de combate à pandemia e reativação da economia.

FONTE: TeleSíntese
(Acesse o website do autor da publicação para mais detalhes)