Padtec estrutura fundo de investimento com BNDESPar

Padtec estrutura fundo de investimento com BNDESPar. Crédito: Freepik
Crédito: Freepik

A Padtec, empresa de sistemas de comunicações ópticas, concluiu a estruturação de um fundo de investimento em direitos creditórios (FIDC) em conjunto com o BNDES Participações (BNDESPar). O fundo propõe estimular a inovação tecnológica, incentivar a capacitação de recursos humanos, gerar empregos e promover o acesso de pequenas e médias empresas a recursos de capital. O fundo concede créditos aos clientes da Padtec.

O capital será de até R$ 100 milhões, somando aportes de até R$ 80 milhões do BNDESPar e de até R$ 20 milhões da Padtec. O projeto visa  aumentar a competitividade do mercado de telecom brasileiro. “O objetivo é melhorar de forma significativa o custo e prazo de financiamento para nossos clientes, ampliando as oportunidades de antecipação de seu crescimento com as soluções DWDM da Padtec”, afirma, o CEO da companhia, Carlos Raimar.

Antes da conclusão do curso, a Padtec já oferecia ao mercado outras opções de financiamento por intermédio do próprio BNDES, da Finep (braço de investimentos em tecnologia e inovação do governo federal), de bancos privados e de uma linha de crédito da própria empresa.

Bom momento para Padtec

A companhia encerrou o terceiro trimestre de 2021 com recorde na receita, mas queda nos lucros. A Padtec obteve receita operacional bruta de R$ 120 milhões, valor que representa um crescimento de 42,1% em relação ao mesmo trimestre de 2020.

Com isso, a receita operacional da empresa alcança a marca de R$ 326 milhões no acumulado dos nove meses de 2021 – um aumento de 55% em comparação a igual período do ano passado e de 2,6% em relação à receita registrada em 2020 (R$ 317,9 milhões). Foi o melhor resultado trimestral da história recente da empresa. O lucro líquido da Companhia no 3T21 foi de R$ 4,7 milhões frente a R$ 7,8 milhões no terceiro trimestre de 2020.

Na ocasião, a companhia também declarou que sua expectativa é de que o mundo continue demandando investimentos em digitalização e em infraestruturas de conectividade com alta capacidade de dados. (Com assessoria de imprensa)

FONTE: TeleSíntese
(Excelente website de notícias! Recomendo!)