Oi Soluções forneceu comunicação de dados ao TRE em 18 estados nas eleições

A Oi Soluções, provedora e integradora de soluções digitais da Oi para o mercado corporativo, foi a responsável por fornecer redes privadas de comunicação de dados dos cartórios eleitorais aos Tribunais Regionais Eleitorais (TRE) em 18 estados. Exclusivamente no Piauí, a operadora forneceu links privados de comunicação de dados entre TRE e Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A companhia realizou o trabalho no primeiro e no segundo turno.

A operadora atuou, com rede privativa de transmissão de dados, em 3.887 municípios nos estados: Acre; Bahia; Espirito Santo; Goiás; Maranhão; Mato Grosso; Mato Grosso do Sul; Minas Gerais; Pará; Paraná; Pernambuco; Rio de Janeiro; Rio Grande do Sul; Rondônia; Roraima; Santa Catarina; e Tocantins. Juntos, eles totalizaram 95 milhões dos 148 milhões de eleitores do Brasil. Foram mais de 1.400 links para atender a Justiça Eleitoral sobre um backbone de fibra óptica.

Nos estados Roraima, Amapá, Pará, Rondônia, Maranhão, Rio Grande do Sul, Paraná, Minas Gerais, Bahia e Pernambuco a empresa também fornecer circuitos de dados para demandas pontuais dos TREs.

Por meio do seu Centro de Gerência de Rede e de Serviços, a companhia fez o monitoramento de sua rede e dos serviços contratados pela Justiça Eleitoral de forma ininterrupta.

“A parceria com a Oi foi fundamental para reforçar a segurança dos sistemas eleitorais do tribunal e assegurar um segundo turno tranquilo aos brasileiros”, afirmou Giuseppe Janino, secretário de Tecnologia da Informação do TSE.

Durante o primeiro turno das eleições de 2020, um ataque hacker ao TSE atrasou a contagem de votos e vazou dados de funcionários. Antes disso, outro ataque, que já havia derrubado o sistema eletrônico do Tribunal Superior de Justiça no dia quatro de novembro, também tinha como alvo o TSE.  (Com assessoria de imprensa)

FONTE: TeleSíntese
Aproveito a oportunidade para renovar meus protestos de respeito e consideração aos autores da publicação original.