Oi economizou R$ 45 milhões em 2020 com reúso de modems e decoders

A Oi publicou nesta semana seu Relatório de Sustentabilidade 2020, que traz dados e fatos mais importantes para o grupo ao longo do ano anterior, sob a ótica ESG. Um dos assunto que mereceram destaque pela companhia no material foi a economia resultante do recondicionamento e reúso de equipamentos que são instalados nas casas dos clientes.

A empresa fez o reúso de mais de 150 mil aparelhos, entre modems FTTH (fibra) e decodificadores de TV paga, o que resultou em economia total R$ 45 milhões. Apenas com FTTH, o reúso permitiu economizar R$ 45 milhões sobre o Capex.

Para 2021, a empresa tem a meta de recondicionar 328.721 equipamentos, para gerar uma economia de R$ 66,2 milhões.

O processo de elaboração do relatório contou com a coleta e análise de cerca de 140 indicadores e colaboração de mais de 40 áreas. A Oi, como mostra o relatório, é responsável direta ou indireta pelo emprego de 132 mil pessoas Brasil afora.

Outro ponto de destaque foi o avanço da iniciativa de troca da matriz energética da empresa, que está deixando o fornecimento via cobre para uso de energia solar, biogás e outras matrizes renováveis. Em 2020, a companhia chegou a 50% de seu consumo de energia oriundo de biomassa, solar e hídrica. Para 2022, a meta é chega a 80%. E para 2025, a 100%, eliminando de vez a contratação de fontes tradicionais.

[Errata: A primeira versão deste texto indicava que a economia da Oi com o reúso de modems e decoders passava de R$ 111 milhões. A operadora enviou ao Tele.Síntese o dado corrigido.]

FONTE: TeleSíntese
Mais uma vez, agradecemos aos autores originais desta publicação.