Oi confirma mudanças na diretoria

A Oi comunicou hoje, 31, que realizou mudanças na sua diretoria estatutária. Em nota enviada à Comissão de Valores Mobiliários afirma que o conselho de administração elegeu ontem, 30 de outubro, Camille Loyo Faria como a nova diretora de finanças e relações com investidores. Ela vai substituir Carlos Brandão. Também informa que Eurico Teles deixa a posição de diretor jurídico, cargo que passa a ser ocupado por Antonio Rabelo Filho. Teles, que acumulava as funções de diretor jurídico e CEO, seguirá como CEO.

A nomeação de Camille Loyo já era esperada. A executiva foi diretora responsável pelas áreas de Energia, Tecnologia/Mídia/Telecom e Indústrias no Bank of America Merrill Lynch. Anteriormente, ocupou o cargo de diretora responsável por Energia, Tecnologia/Mídia/Telecom no Bradesco BBI e também no Morgan Stanley. Tem ainda passagem pelas operadoras Telecom Italia e Embratel.

Antonio Reinaldo Rabelo Filho é advogado. Começou a carreira na PWC Brasil, de onde saiu para o Grupo Oi em 2000. Em 2017 abriu escritório próprio, através do qual participou das negociações do processo de recuperação judicial da Oi com credores nacionais e internacionais do Grupo e a estruturação do Plano de Recuperação Judicial aprovado em AGC, até hoje, com a implementação de todos os passos do referido Plano no Brasil, EUA, Holanda e Portugal, período durante o qual foi, ainda, o representante internacional (foreign representative) da RJ da Oi nas
Cortes de Nova Iorque e Reino Unido.

Na carta enviada à CVM, a Oi agradece a Carlos Brandão “por todos os anos de dedicação e entrega, reconhecendo as contribuições e resultados significativos atingidos neste período, em particular no processo de recuperação judicial da Companhia”.

Faz o mesmo em relação ao CEO, Eurico Teles: “a Companhia reconhece ainda o papel destacado que o Sr. Eurico de Jesus Teles Neto exerceu à frente da diretoria jurídica ao longo de 12 anos e meio, com dedicação e atuação determinante em vários momentos relevantes da história da Oi, em especial, nos últimos anos, no exitoso processo
de Recuperação Judicial”.

FONTE: TeleSíntese
(Acesse o website do autor da publicação para mais detalhes)