Nova edição do BNDES Garagem terá três ciclos de aceleração

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) lançou o edital da segunda edição do BNDES Garagem – programa de desenvolvimento de startups nacionais. Nesta fase inicial, será feita a seleção da aceleradora que dará apoio à iniciativa. A nova edição terá como o foco a criação e fortalecimento de pequenos negócios inovadores que gerem impacto socioambiental, em linha com o objetivo do banco de promover o desenvolvimento sustentável.

Serão três ciclos de aceleração, sendo que o primeiro terá como foco prioritário empreendedores que estão desenvolvendo soluções para saúde, educação, sustentabilidade, inovação na gestão pública (govtech) e cidades sustentáveis.  Cada ciclo contará com até 45 participantes e terá duração de três a quatro meses. Ao todo, a segunda edição terá duração de 30 meses (contados a partir da contratação da aceleradora) e selecionará até 135 participantes.

O programa, que será gratuito para os participantes, contará com dois módulos. O primeiro é o de Tração, voltado a startups de impacto com faturamento inferior a R$ 16 milhões que já possuam um produto ofertado no mercado. O segundo, Criação, é direcionado a pessoas físicas ou startups de impacto com propostas de negócios inovadores buscando apoio para criação ou aprimoramento de um produto mínimo viável.

A aceleradora que será responsável por dar suporte à criação e ao crescimento dos empreendimentos participantes do programa. Ela acompanhará o desenvolvimento dos negócios, prestando aconselhamento técnico, jurídico e mercadológico, além de promover a aproximação dos empreendedores com investidores e potenciais clientes.

A aceleradora também realizará, em conjunto com o BNDES, as seleções de empreendedores de todo o Brasil interessados em participar do programa. Durante a permanência no BNDES Garagem, os empreendedores receberão orientações e participarão de atividades que ajudem no desenvolvimento de seus negócios.

Ao fim de cada ciclo, será realizado um Demo Day, no BNDES, para que os trabalhos desenvolvidos sejam apresentados a potenciais investidores e outros públicos de interesse. A contrapartida dos participantes será o desenvolvimento de suas soluções e o BNDES não exigirá participação acionária nos negócios. (com assessoria de imprensa). 

FONTE: TeleSíntese
(Acesse o website do autor da publicação para mais detalhes)