Nobreak ou gerador de energia: qual a melhor opção?

Quedas de energia, apagões, distúrbios e oscilações no fornecimento de energia elétrica são apenas alguns dos diversos riscos que os equipamentos eletrônicos sofrem e podem comprometer o seu tempo de vida útil quando conectados à rede. Existem alguns equipamentos que garantem proteção extra a estes dispositivos, permitindo o uso contínuo em caso de ausência de energia, como é o caso dos geradores e nobreaks.
“Ambos são ótimos produtos que servem para suprir a necessidade de energia em diversas situações. Tanto os geradores quanto os nobreaks são projetados para uso como sistema de backup quando a fonte de alimentação de energia original é interrompida, mas há algumas diferenças entre os dois, que precisam ser esclarecidas”, explica Pedro Al Shara, engenheiro elétrico e CEO da TS Shara, fabricante nacional de nobreaks e estabilizadores de tensão.
A principal função do nobreak é fornecer energia ininterrupta aos equipamentos, mesmo na ausência total de energia proveniente de rede elétrica. Isto é possível pela utilização de baterias internas, que são carregadas automaticamente enquanto a rede elétrica está em pleno funcionamento e, em uma eventual queda ou oscilação de energia, entram em operação por um determinado período. Já os geradores, por sua vez, são capazes de transformar a energia, seja ela mecânica, química, solar ou de qualquer outra natureza, em energia elétrica. Em edifícios, é mais comum o uso de geradores a combustão, que transformam energia química (diesel) em energia elétrica.
Apesar das diferenças no modo de operação, o engenheiro elétrico ressalta que, na verdade, os nobreaks se tornaram um grande apoio aos geradores. “Muitos não sabem, mas existe o que chamamos de tempo de interrupção até que o gerador, de fato, inicie sua operação, após uma queda de energia. Ou seja, os equipamentos que serão alimentados pelo gerador, ficarão desligados por alguns segundos, o que pode ser prejudicial quando estamos falando de aplicações que não podem ter o fornecimento de energia interrompidos, como é o caso de alguns ambientes onde a energia é essencial, como centros cirúrgicos em hospitais, produção de vacinas e medicamentos, laboratórios de exames clínicos e tantas outras aplicações de missão crítica.  É neste momento que a função do nobreak se torna a combinação perfeita”, comenta.
De acordo com o especialista da TS Shara, para que a alimentação da carga não seja interrompida é necessária a instalação de um nobreak. No pequeno intervalo entre a queda de energia e o acionamento do gerador, o nobreak entra em ação e fornece energia a partir de suas baterias internas para que os equipamentos ou sistemas sejam desligados adequadamente ou continuem operando até que a energia seja reestabelecida pelo gerador. “Uma dica importante é que o consumidor verifique se o nobreak é compatível com a energia fornecida pelo grupo de geradores utilizados, para evitar qualquer tipo de dano ou falha”, ressalta.
“No final das contas, os geradores e nobreaks trabalham juntos para proteger seu equipamento para que você possa manter seus negócios funcionando sem problemas. Picos de energia podem sobrecarregar seu sistema e quedas de energia podem causar muitos danos devido a desligamentos inadequados. Por isso, investir nesses sistemas se torna a opção mais indicada para evitar situações indesejadas”, finaliza Pedro Al Shara.
Agora você já sabe o que é melhor para você, um nobreak ou um gerador de energia. Pense, analise e faça suas compras. Assim, evite a perda de dados.

FONTE: Blog SempreUpdate
(Excelente website de notícias! Recomendo!)