NEC já negocia OpenRAN com operadora brasileira

NEC

A NEC espera ocupar um market share em OpenRAN de no mínimo 20% até 2030, afirmou o CEO da companhia, Takayuki Morita em evento privado do MWC 2021. Daqui a nove anos, Morita estimou que o 40% da rede será OpenRAN. Com a expansão da tecnologia a partir de 2030, a expectativa é de que o market share da NEC cresça mais.

“Depois de 2030, nós estamos mirando em mais de 20% do market share. Isso é meio que um mínimo para um companhia líder no campo”, disse. A empresa tem apostado em um modelo de 5G aberto, que, por permitir mais players, favoreceria a inovação, como argumenta Morita.

A empresa também apresentou os futuros lançamentos  de seus produtos para 2022. Isso inclui nuvem nativa com núcleo 3G, 4G e 5G compatível com configuração standalone e non-standalone. A futura nuvem também funcionará em ecossistema de edge computing.

Haverá mais lançamentos de rádios OpenRAN MIMO Massivos e não-MIMO, ondas milimétricas e CBRS. Por fim, a última promessa consiste em uma rede automatizada e zero-touch a partir de inteligência artificial,  que permitiria eficiência energética e otimização da performance de RAN.

Enquanto isso não acontece, a NEC anunciou ter lançado o que chamou de primeira nuvem nativa 5G do mundo, localizada no Japão com beamforming e MIMO Massivo. A nuvem está seguindo as especificações de rede OpenRAN, fornecendo controle de formação de beamforming digital em 16 camadas em comunicações de downlink em sistemas mMIMO. A solução estará disponível globalmente no início de 2022.

Em parceria com a Rakuten Mobile, a NEC construiu unidades de rádio MIMO Massivo sub-6 GHz, que estão sendo utilizados na rede da Rekuten.

Outra novidade anunciada são os serviços core de nuvem 5G e os softwares OSS e BSS da subsidiária Netcracker, que ficarão hospedados na AWS, nuvem da Amazon. A tecnologia permite networking slicing, edge computing multi-acesso (MEC) e separação de plano de controle e usuário (CUPS).

Brasil e América Latina

De acordo com o vice-presidente global de gerenciamento de produtos 5G, Patrick Lopez a NEC possui discussões em andamentos no Brasil para levar a cabo seu projeto de OpenRAN no país. No entanto, ele não divulgou nomes de possíveis parceiros.

“Existem atividades na América Latina e, em particular, no Brasil, mas eu não posso providenciar qualquer comentário neste estágio, porque essas informações ainda não são públicas. Discussões ainda estão em andamento”, afirmou.

A NEC está envolvida em projeto mundial de OpenRAN e procurando ativamente “oportunidades  no mercado global”, conforme Lopez. Ele ressaltou que algumas condições podem ditar a velocidade com a qual a tecnologia é implementada no país, como aspectos regulatórios e dinâmicas de competição.

 

 

FONTE: TeleSíntese
Aproveito a oportunidade para renovar meus protestos de respeito e consideração aos autores da publicação original.