Na pandemia, banda larga cresce em ritmo acelerado e celular retoma expansão

Agência receberá manifestação de empresas interessadas até 14 de setembro de 2021

Após o início da pandemia, a Banda Larga fixa teve um acréscimo no ritmo de crescimento do serviço, com uma aceleração no crescimento do número de acessos. Em março de 2021 registrou aproximadamente 37 milhões de acessos, com crescimento de 12% entre março de 2020 e fevereiro de 2021. 

A telefonia móvel, por sua vez, teve uma vertiginosa recuperação, especialmente a partir de maio de 2020. Havia uma retração anual nos três anos anteriores na pandemia, porém e um crescimento de 6,8% em 12 meses pós março de 2020. 

Esses são alguns dos dados apresentados pela Anatel no “Relatório Analítico do Impacto da Pandemia de COVID-19 no Setor de Telecomunicações do Brasil, 2ª Edição”. O documento analisa os impactos e reflexos da mudança comportamental dos consumidores nos serviços de telecomunicações até o primeiro semestre de 2021. 

O documento destaca também que a faixa de velocidade de banda larga acima de 34 Mbps teve a maior taxa de crescimento. Além de haver o crescimento do serviço como um todo, há uma substituição de contratos de menor velocidade para maior velocidade. Também vem ocorrendo a substituição da tecnologia, com crescimento de acessos de fibra ótica e retração de acessos com outras tecnologias.  

Os dados mostram ainda que houve a inversão da liderança de tipo de acesso de telefonia móvel, por tipo de pagamento. Desde setembro de 2020 os acessos pós-pagos têm maior market share que os acessos pré-pagos. Em março de 2021 os acessos tipo pós-pagos são cerca de 125 milhões de acessos e o pré-pago aproximadamente 115 milhões de acessos.  

Já os serviços de telefonia fixa e TV por assinatura continuam numa leve trajetória de queda. E houve um aumento substancial dos IRs (Índice de Reclamações) em reclamações, especialmente em Banda Larga Fixa e TV por assinatura. Progressivamente, as prestadoras conseguiram dar endereçamento às reclamações reduzindo os índices. Houve um aumento repentino nos últimos meses.  

O documento apresenta um resumo dos relatórios sobre a pandemia de Covid-19 apresentados pela União Internacional de Telecomunicações (UIT) e uma coletânea de dados da própria Anatel e do Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br). 

O Relatório também traz resultados de pesquisa feita junto ao corpo técnico de especialistas da Anatel para a obtenção de insights de análise sobre os impactos da pandemia de COVID no setor de telecomunicações no Brasil. 

FONTE: TeleSíntese
Por mais esta excelente publicação, agradecemos.