Motoristas do Uber exigem ver algoritmos que determinam suas vidas profissionais

Motoristas do Uber exigem ver algoritmos que determinam suas vidas profissionaisO Uber está enfrentando uma nova reclamação legal apresentada por motoristas que exigem ver os algoritmos computacionais e as práticas de coleta de dados que determinam suas vidas profissionais. A oferta está sendo apresentada pelos motoristas do Reino Unido.
Liderada pelo advogado Anton Ekker, a denúncia alega que o Uber falhou em “fornecer acesso aos dados e [uma] explicação do gerenciamento algorítmico conforme exigido” pelo Regulamento Geral de Proteção de Dados da UE (GDPR).
Além disso, os sindicatos alegam que o Uber mantém “perfis secretos de motoristas” que incluem classificações de desempenho baseadas no trabalho. Por exemplo, taxas de chegada tardia e cancelamento de passageiros, atitudes gerais e notas comportamentais.

Motoristas do Uber exigem ver algoritmos que determinam suas vidas profissionais

A denúncia diz:
Isso contraria a insistência da Uber em muitos desafios legais de classificação incorreta de emprego em várias jurisdições em todo o mundo, segundo a qual os motoristas são autônomos e não estão sujeitos ao controle da gerência.
Os sindicatos pretendem argumentar que o serviço de carona não fornece aos trabalhadores os seus dados e, sem acesso a seus perfis e algoritmos usados para determinar seu trabalho, isso pode permitir que práticas discriminatórias ou injustas não sejam verificadas.
Motoristas do Uber exigem ver algoritmos que determinam suas vidas profissionaisO Uber está enfrentando uma nova reclamação legal apresentada por motoristas que exigem ver os algoritmos computacionais e as práticas de coleta de dados.
Para resolver esse problema, os reclamantes buscam a criação de uma “confiança de dados”. Assim, as informações coletadas pela Uber sobre os motoristas serão disponibilizadas aos sindicatos com a finalidade de ação coletiva e/ou negociação.
Por fim, um porta-voz da Uber disse:
Nossa equipe de privacidade trabalha duro para fornecer quaisquer dados pessoais solicitados aos quais as pessoas têm direito. Daremos explicações quando não pudermos fornecer determinados dados, como quando eles não existem ou a divulgação infringiria os direitos de outra pessoa.
Fonte: ZDNET
Algoritmo do Google permite que robôs aprendam a andar

Toshiba diz que criou um algoritmo que supera computadores quânticos usando hardware padrão de silício

Regras da internet na China exigem algoritmos que recomendam conteúdo ‘positivo’

Ubuntu 19.10 “Eoan Ermine” chegou ao fim da vida útil

Restaurantes de sushi no Japão estão usando inteligência artificial para avaliar cortes de atum

FONTE: Blog SempreUpdate
Agradecimentos aos autores originais desta publicação! Até a próxima!