Morais afirma que há fundos de investimentos externos interessados no leilão 5G do Brasil

Leonardo Euler de Morais em entrevista para a EBC no último domingo, 2

O presidente da Anatel, Leonardo Euler de Morais, afirmou ontem, 2, em entrevista para a EBC que “fundos de agentes externos” estão interessados no edital 5G do Brasil. De acordo com o presidente, um dos principais motivos para isso é o fato de o leilão ter uma abordagem não arrecadatória.

“Para quem quer investir, acho que o Brasil está em  um bom momento para investimentos. Essa é uma grande oportunidade de ingresso no setor de telecomunicações”, disse. O edital 5G abriu espaço para a participação de empresas estrangeiras no leilão que se comprometessem a se ajustar às regras do leilão.

A estadunidense Digital Colony já declarou que pretende fornecer serviços 5G desde infraestrutura até espectro para prestadoras de pequeno porte (PPPs) por meio de sua subsidiária Highline. Além disso, há comentários de que a oferta da BTG, que possui diversos investidores estrangeiros, para aquisição da InfraCo, empresa de fibra da Oi, poderia também se interessar por algumas das bandas à venda.

Leonardo de Morais ainda comentou que o Brasil está  “em bom tempo” em relação à 5G, caso o leilão realmente aconteça neste ano. Para ele, o Brasil ainda detém uma certa vantagem por contar com equipamentos suficientes para implementação da quinta geração no país. Isso poderá diminuir os custos para consumidores.

Por enquanto, o Edital 5G depende de aprovação do Tribunal de Contas da União (TCU).  No início do seminário do TCU para discutir a licitação da 5G, o Ministério das Comunicações estava otimista de que o órgão conseguiria dar o seu parecer no prazo de 60 dias. Apesar disso, o Ministério Público afirmou no mesmo dia que o tempo pedido pelo governo para a análise do leilão era muito curto. (Com assessoria de imprensa)

 

FONTE: TeleSíntese
Agradecimentos aos autores originais desta publicação! Até a próxima!