Martechs somam quase US$ 1 bilhão em investimentos em 2021

O ano de 2021 é bastante promissor para as martechs, startups que desenvolvem soluções para promoção, divulgação e exibição de marcas, uma vez que o setor recebeu nos primeiros três meses do ano US$ 910 milhões, 95% do total investido em 2020. Foram 324 acordos fechados, sendo que o investimento de US$ 170 milhões na Hotmart encabeçou a lista de deals.

Os dados foram revelados pelo mais recente estudo do Distrito, hub de inovação, que pesquisou seis categorias de martechs: distribuição de campanhas de publicidade, criação de conteúdo, monitoramento de redes sociais, automação de vendas, análise de dados e relacionamento com o cliente.

Grande parte dos investimentos, US$ 272,2 milhões, foram destinados a Minas Gerais, em 26 acordos fechados. O Paraná ficou com o segundo lugar em investimentos, US$ 178,8 milhões, em 28 acordos. Apesar do grande número de deals, 160, São Paulo ficou em terceiro lugar em volume de investimentos, com US$ 153,9 milhões.

Pelo levantamento do Distrito, são 688 martechs, que empregam cerca de 22 mil pessoas. A categoria de relacionamento com o cliente lidera o ranking, com 211 empresas ou 31,59% do total. Na sequência, estão as startups voltadas para a distribuição e promoção de campanhas, 150 ou 22,46%; vendas e canais, 122 ou 18,26%; conteúdo e experiência, 88 ou 13,17%; dados, 57 ou 8,53%; e, finalmente, aquelas voltadas para as redes sociais, com 40 ou 5,99%.

Mais de 80% das martechs têm foco no mercado B2B, sendo que 68,3% oferecem soluções em Software as a Service (SaaS). O percentual para o mercado B2B e B2C cai para 12,7%, bem como os serviços de Marketplace, que somam 10,2% do total das startups que unem tecnologia e estratégias de marketing.

Top 10 das martechs

A mineira Hotmart, plataforma de venda, divulgação e compra de produtos digitais por criadores de conteúdo, é a primeira na lista do Top 10 das martechs, fazendo parte do seleto grupo dos unicórnios brasileiros. O status foi alcançado ainda em março de 2020, quando a companhia recebeu recursos para adquirir a empresa norte- americana de tecnologia Teachable.

Hoje, a empresa atende a criadores de conteúdo em mais de 100 países, proporcionando transações de produtos e serviços digitais para milhões de consumidores em mais de 185 países e contabilizou US$ 170 milhões em investimentos em 2021.

Em segundo lugar figura a paranaense Olist, que atende a 25 mil empreendedores em sua vertical de entrada em marketplaces, chamada Olist Store e totalizou, em 2021, US$ 111,5 milhões em investimentos. A startup conecta vendedores a sites como Amazon, Americanas, Carrefour, Casas Bahia, Extra, Mercado Livre, entre outros. No começo de 2020, a Olist Shops expandiu para a criação de lojas online, que permite abrir um e-commerce próprio gratuitamente, com sistemas integrados de estoque, logística e compartilhamento do link da loja nas redes sociais. A frente atende mais de 200 mil clientes em 180 países.

Mais empregos

Do total de 688 martechs, 14% contam com mais de 100 funcionários e, dentre as que mais empregam, quatro delas receberam investimentos: Neoway (485 colaboradores), Semantix (301), RankMyApp (208), e Cortex (159), o que demonstra a importância do Venture Capital para o desenvolvimento das startups.

FONTE: TeleSíntese
Nossos sinceros agradecimentos aos autores da publicação!