Maioria dos profissionais de segurança cibernética sofre com excesso de trabalho ou esgotamento

Maioria dos profissionais de segurança cibernética sofre com excesso de trabalho ou esgotamentoNovas pesquisas do Instituto Chartered de Segurança da Informação (CIISec) do Reino Unido mostram que o excesso de trabalho e o esgotamento nervoso afetam mais da metade dos profissionais de segurança cibernética. Este é, portanto, um dos grandes problemas para o setor de segurança de TI. O estudo de quase 450 profissionais de cibersegurança mostra que 54% dos entrevistados deixaram um emprego devido a excesso de trabalho ou esgotamento, ou trabalharam com alguém que o fez.
A principal razão apontada para que isso ocorra é a falta de recursos e investimento em pessoal. Nada menos que 82% dos entrevistados afirmam que os orçamentos de segurança não estão acompanhando o aumento dos níveis de ameaças. Esse volume está subindo muito devagar, mantendo-se o mesmo ou até caindo. No entanto, ao mesmo tempo, crescem o número e a complexidade das ameaças. Isso ocorre principalmente em datas como feriados ou finais de semana, quando as equipes estão ainda mais reduzidas. 
É justamente isso o que tem provocado o crescimento absurdo do estresse, colocando em risco não apenas a instituição mas também e principalmente, a saúde do funcionário.  Não foi à toa que 64% dos entrevistados dizem que seus trabalhos esperam lidar com menos recursos quando necessário.

Maioria dos profissionais de segurança cibernética sofre com excesso de trabalho ou esgotamento

Maioria dos profissionais de segurança cibernética sofre com excesso de trabalho ou esgotamento
Infelizmente, é provável que as equipes de segurança sofram mais pressão em 2020, pois o surto de COVID-19 e suas consequências têm efeitos profundos nos orçamentos e na capacidade de operação das empresas, diz Amanda Finch, CEO da CIISec.
A menos que a indústria possa aprender a fazer mais com menos e, ao mesmo tempo, abordar questões de diversidade e esgotamento, os riscos aumentarão e as organizações sofrerão. Para evitar isso, precisamos das pessoas certas com as habilidades certas, dando-lhes a ajuda necessária para atingir todo o seu potencial. Isso não se aplica apenas às habilidades técnicas, mas às habilidades das pessoas que serão essenciais para proporcionar às organizações uma cultura focada na segurança que possa lidar com a crescente pressão à frente.

Muita pressão, pouco dinheiro

Os principais motivos apontados para a saída de funcionários da segurança são a falta de oportunidade ou progressão, a administração desagradável ou ruim e a baixa remuneração. O CIISec também analisou as diferenças entre homens e mulheres no setor e constata que, embora homens e mulheres estejam igualmente representados na idade e no nível de educação recebido, as mulheres recebem salários significativamente menores, em média, ou desempenham funções mais básicas.
Lidar com a falta de diversidade no setor não é apenas uma questão de justiça, acrescenta Finch. Isso também bloqueia as habilidades e talentos de todo um grupo de pessoas que poderiam ajudar coletivamente a indústria e reduzir a enorme pressão sob a qual muitas equipes de segurança estão sujeitas.
Precisamos fazer tudo o que pudermos para atrair sangue novo para uma carreira em segurança, e garantir que aqueles que já estão no local querem ficar lá. Entender por que as pessoas se juntam – e por que partem – é o começo da construção de uma força de trabalho resiliente que possa enfrentar os desafios futuros.
O relatório completo está disponível no site do CIISec.
Fonte: Betanews

FONTE: Blog SempreUpdate
(Excelente website de notícias! Recomendo!)