Lucro líquido da Desktop recua 1% no 3º trimestre

Crédito: Divulgação
Área de cobertura da Desktop                                                                                                                                             Crédito: Divulgação

Com planos de buscar novos mercados fora de São Paulo em 2022, a Desktop fechou o terceiro trimestre de 2021 com lucro líquido de R$ 12,02 milhões, recuo de 1% na comparação com o resultado obtido no mesmo período do ano passado. O Ebitda totalizou R$ 35,53 milhões, alta de 38% na mesma base de comparação.

Já o Ebitda ajustado fechou setembro deste ano em R$ 40 milhões, representando uma margem Ebitda de 42% no trimestre, queda de 18 pontos porcentuais (p.p.) na comparação anual.

A companhia atribuiu a queda ao plano agressivo de expansão, que adicionou 34 mil clientes, apenas com o crescimento orgânico para sete cidades: Sorocaba, Pirassununga, Itupeva, Casa Branca, Porto Ferreira, Santa Cruz das Palmeiras e Santa Rita do Passa Quatro.

“Encerrando o 3T21 com cobertura em 68 cidades, alta de 240% em relação a igual período do ano anterior, quando atendíamos 20 municípios”, afirmou o presidente da companhia, Denio Alves, na conferência dos resultados. Segundo ele, a empresa vai entrar em novos estados a partir de 2022. Ele, no entanto, não quis adiantar quais por considerar a informação estratégica.

Com relação ao crescimento inorgânico, a Desktop fechou, no terceiro trimestre, a aquisição de 100% da Starnet e o contrato de compra de 100% do capital social da Net Barretos e da LPNet, que juntos vão acrescentar 210 mil clientes à operadora.

Ainda no 3T21, a operadora chegou a 1,9 milhão de casas passadas, resultado 143% maior na comparação com intervalo igual do ano passado e 22%, comparado com o trimestre anterior. O número de assinantes, considerando as últimas aquisições, chegou a 577 mil.

Receita

No primeiro ano de B3, a receita líquida da companhia ficou em R$ 94,313 milhões no período de julho a setembro de 2021, crescimento de 118% sobre o obtido no terceiro trimestre de 2020. A empresa afirmou que o caixa líquido atual é de R$ 204 milhões, o que reforça a manutenção do plano de expansão. A Desktop está examinando a possibilidade de compra de 20 operações, com perspectiva de algum fechamento ainda em 2021.

A empresa afirma que os preços praticados são semelhantes aos da Vivo, operadora de grande porte com maior participação no mercado paulista. Quanto ao churn, a Desktop afirma que é menor que 2%, em linha com o resultado do trimestre anterior.

O resultado financeiro ficou negativo em R$ 5,2 milhões no terceiro trimestre de 2021, crescimento de 224% quando comparado ao resultado negativo do terceiro trimestre de 2020. O aumento se deve, segundo a empresa, ao maior endividamento da companhia, incluindo a emissão de uma debênture no valor de R$ 194 milhões no primeiro trimestre deste ano.

FONTE: TeleSíntese
Nossos sinceros agradecimentos aos autores da publicação!