LG deixa o mercado de celulares

A LG avisou nesta segunda-feira, 5, que decidiu sair do mercado de celulares. A empresa produz feature phones e smartphones. O conselho de administração do conglomerado sul-coreano aprovou o plano de encerramento da operação no segmento hoje.

A empresa é uma das 10 maiores fabricantes do mundo. Chegou a ser a terceira principal produtora do planeta, ao lado de Apple e Samsung, mas perdeu mercado com o avanço das competidoras chinesas, como Huawei, Xiaomi e Oppo. No comunicado em que anunciou o fim das linhas móveis, a empresa classifica o segmento móvel como “inacreditavelmente competitivo”.

Embora produza grandes volumes, o segmento na empresa era deficitário. Em 2020, a área apresentou prejuízo equivalente a US$ 750,63 milhões, ou seja, cerca de R$4,15 bilhões. Em seis anos, a unidade perdeu US$ 4,5 bilhões. Já em 2016 a companhia previa um cenário nebuloso para o segmento, com aumento da competição e derrubada dos preços.

Demissões

A empresa não revela quantas pessoas serão demitidas. As subsidiárias de cada país onde há produção de celulares vão estruturar os planos para desligamento dos funcionários e encerramento das atividades. A previsão é que em todo o mundo, a unidade móvel esteja finalizada até 31 de julho.

O estoque atual de celulares seguirão à venda. A companhia diz que vai garantir o funcionamento e suporte aos usuários por um período “variável conforme a região”.

Rumores davam conta de que a empresa tentou, sem sucesso, vender sua unidade móvel. Com o fim da divisão móvel, a empresa vai focar agora nos mercado de componentes para veículos elétricos, dispositivos conectados, casa conectadas, robótica, inteligência artificial.

A empresa diz que vai participar do desenvolvimento da tecnologia 6G, embora não vá mais fazer celulares. A empresa também mantém patentes essenciais de tecnologia móvel que seguirão exploradas comercialmente.

FONTE: TeleSíntese
Agradecimentos aos autores originais desta publicação! Até a próxima!