Leilão marca início da expansão da Brisanet rumo ao Centro-Oeste

Um dos ágios que se destacou no dia de hoje do leilão 5G foi proporcionado pela operadora nordestina Brisanet. A empresa arrematou o lote regional de 80 MHz de espectro na faixa de 3,5 GHz no Nordeste por R$ 1,25 bilhão, preço 13,741% acima do mínimo estipulado pela Anatel.

O lance causou apreensão no mercado, e fez cair as ações da empresa ao longo da tarde. Mas o valor se recuperou ao final do dia com a compreensão da proposta.

Acontece que pelas regras do leilão, os proponentes não precisam desembolsar o valor oferecido, mas assinar um compromisso de investir o dinheiro em infraestrutura num conjunto de cidades delimitado pela Anatel e que já consta no edital. Caso as obrigações estejam já na rota de expansão da empresa, o leilão apresenta-se como a confirmação do Capex do do plano de expansão do grupo. E foi o que aconteceu.

Em fato relevante distribuído no final do dia, a Brisanet ressalta que terá de pagar, de fato, apenas R$ 13,4 milhões ao Tesouro pelo lote regional de 3,5 GHz arrematado por valor bilionário. O montante pago em cash poderá ser parcelado em vinte ano, o tempo de validade da outorga.

Já os compromissos de cobertura, o CEO da empresa ressaltou em diferentes ocasiões que estavam alinhados à estratégia do grupo de expansão, ou em muitas cidades do já tinha a infraestrutura necessária para cumprir o que fosse determinado pela Anatel. Da mesma forma, tais obrigações devem ser atendidas até 2029, e não imediatamente. De obrigação, deverá cobrir com 5G 1.423 cidades com menos de 30 mil habitantes, e outras 1.148 localidades em 2030.

A Brisanet levou também espectro de 3,5 GHz no Centro Oeste. Ali, onde sua infraestrutura é mais incipiente, a empresa propôs um ágio de cerca de 4000%, e arrematou o lote por R$ 105 milhões. Segundo a empresa, trata-se de uma área complementar aos negócios atuais. Em dinheiro, terá de pagar R$ 43 milhões, parcelados pelos próximos 20 anos, e cobrir até 2029, obrigatoriamente, 383 cidades com 5G, além de ofertar conexão em mais 57 localidades em 2030.

A operadora comprou também o bloco Nordeste de 2,3 GHz por R$ 111,4 milhões, valor este que será inteiramente desembolsado pela empresa, em parcelas ao longo da validade da outorga. Adicionalmente, a Companhia assume o compromisso de oferecer cobertura com ERB 4G em 30 cidades com menos de 30 mil habitantes (95% da área urbana) bem como cobertura 4G em cerca de 2.767 localidades que atualmente não possuem cobertura.

Em suma, a empresa deu lances que somam R$ 1,46 bilhão. E estima que o custo para cumprir todas as obrigações será de R$ 2 bilhões. Segundo José Roberto Nogueira, fundador e Diretor-Presidente da companhia, os blocos comprados se complementam “em termos geográficos, consolida o crescimento da Brisanet em sua região de origem, além de viabilizar a estratégia de expansão de um modelo de sucesso na prestação do serviço de telecomunicações de qualidade em outras regiões do país, começando pela região Centro-Oeste”.

FONTE: TeleSíntese
Aproveito a oportunidade para renovar meus protestos de respeito e consideração aos autores da publicação original.