Itália abre investigações contra iCloud, Dropbox e Google Drive por violações dos direitos do consumidor

Itália abre investigações contra iCloud, Dropbox e Google Drive por violações dos direitos do consumidorItália abre seis investigações contra iCloud, Dropbox e Google Drive por supostas violações dos direitos do consumidor. A Autoridade Italiana de Concorrência e Mercados anunciou que lançou seis investigações contra algumas das principais operadoras de serviços de computação em nuvem do mundo. Os envolvidos são Google, Apple e Dropbox.
As investigações foram iniciadas após o recebimento de inúmeras denúncias de práticas comerciais desleais por parte dos serviços de armazenamento dessas empresas: Apple iCloud, Google Drive e Dropbox.

O Google e a Apple não teriam indicado a coleta e o uso de dados do usuário para fins comerciais

Itália abre investigações contra iCloud, Dropbox e Google Drive por violações dos direitos do consumidor

Todos os serviços envolvidos estão sendo investigados por má conduta e/ou violações da Diretriz de Direitos do Consumidor. Além disso, o Dropbox também está sendo investigado por supostas cláusulas vexatórias incluídas nas condições contratuais.
As investigações de conduta imprópria contra Google e Apple referem-se à falha na apresentação do serviço para indicar a atividade de coleta dos dados fornecidos pelos usuários e sua utilização para fins comerciais.
Além disso, estão sendo investigados por, possivelmente, influenciar indevidamente os consumidores. O órgão alega que eles não têm condições de expressar à operadora seu consentimento para a coleta e uso para fins comerciais das informações que diz respeito a eles.

Itália abre investigações contra iCloud, Dropbox e Google Drive por violações dos direitos do consumidor

O Dropbox é acusado disso e também de não fornecer informações claras e acessíveis imediatamente sobre os termos e procedimentos para rescindir o contrato e exercer o direito de reconsiderar. Também não permite ao usuário a fácil utilização de mecanismos extrajudiciais de conciliação de conflitos, nem as instruções necessárias para acessá-los.
O Dropbox também está sendo investigado pela possível presença de cláusulas vexatórias nas condições contratuais. São coisas do tipo como a ampla capacidade que esses serviços têm para suspender ou interromper o serviço, fazer alterações unilaterais nas condições do contrato, a responsabilidade em caso de perda de documentos armazenados na nuvem do usuário, e também o predomínio da versão em inglês.

FONTE: Blog SempreUpdate
(Acesse o website do autor da publicação para mais detalhes)