Investimento das operadoras cresce no 1º tri e chega a R$ 7,6 bilhões

Os investimentos das operadoras de telecomunicações somaram R$ 7,6 bilhões no primeiro trimestre de 2021, segundo balanço da Conexis Brasil Digital, entidade que as representa. Em valores nominais o montante é o maior para o primeiro trimestre desde o início da série histórica, em 2010.

Com a correção do valor pela inflação, o investimento do primeiro trimestre de 2021 é o maior desde 2014, quando chegou a R$ 7,7 bilhões.

O investimento feito no primeiro trimestre representa uma alta nominal de 10% em relação ao valor aplicado no mesmo período de 2020 e um crescimento real, já considerando os efeitos da inflação, de 3,6%, na comparação com os três primeiros meses do ano passado.

Nos primeiros três meses de 2020, o setor havia investido R$ 6,9 bilhões, em valores nominais. Em valores atualizados pela inflação o investimento somou R$ 7,3 bilhões.

PIB em queda

A alta no investimento ocorre mesmo em um cenário de baixo crescimento econômico e do PIB ter fechado o ano de 2020 com uma queda de 4,1%.

Em 2020, as empresas reduziram aportes em função da pandemia de Covid-19. Ao todo, investiram R$ 31,1 bilhões. Menos que os R$ 33 bilhões registrados em 2019 em termos nominais, ou R$ 35,1 bilhões (reais atualizado pelo IPCA de 2020).

“Mantivemos, nos últimos anos, os investimentos anuais acima de R$ 30 bilhões, o que mostra o compromisso do setor com o país. Esses investimentos no primeiro trimestre mostram também que teremos um papel fundamental na retomada da economia e que a redução da carga tributária do setor é urgente para expandir a banda larga”, afirmou o presidente executivo da Conexis Brasil Digital, Marcos Ferrari.

No primeiro trimestre de 2020, a receita bruta do setor somou R$ 60 bilhões em valores nominais e R$ 64 bilhões em valores atualizados pela inflação. Já no primeiro trimestre deste ano, a receita bruta foi de R$ 61,7 bilhões. A queda real da receita bruta foi de 3,4% na comparação com o primeiro trimestre de 2020.

No primeiro trimestre deste ano, a mão de obra do setor também aumentou, passando de 520,8 mil empregos diretos no final do ano passado, para 522 mil em março de 2021.

Banda larga

O país ultrapassou, em março, a marca de 250 milhões de acessos em banda larga fixa e móvel. Segundo dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), o país chegou a 251,2 milhões de acessos em banda larga, uma alta de 9% em relação ao mesmo período de 2020.

A taxa de crescimento é superior à média registrada nos últimos cinco anos, que foi de 2,4% na comparação de março a março. De março de 2019 a março de 2020, por exemplo, o número de acessos a banda larga aumentou 1,7%.

Do total de acessos em banda larga, 37,1 milhões de acessos são de banda larga fixa e 214 milhões são de banda larga móvel. Atualmente todos os municípios brasileiros têm cobertura de banda larga móvel, seja 3G, 4G ou ambas.

FONTE: TeleSíntese
Nossos sinceros agradecimentos aos autores da publicação!