IBM, USP E FAPESP iniciam atividades de Centro de Inteligência Artificial

Prédio do Centro de Difusão Internacional. (Foto: Marcos Santos/USP Imagens / CC-BY)

Hoje, 13, começam as atividades do Centro de Inteligência Artificial, criado em parceria entre IBM, Universidade de São Paulo (USP) e Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP). A sede do centro fica no prédio do Centro de Pesquisa e Inovação InovaUSP, na Cidade Universitária de São Paulo. Outra unidade ficará no campus de São Carlos, no Instituto de Ciências Matemáticas e da Computação (ICMC).

O C4AI se dedicará ao desenvolvimento à pesquisa de ponta em Inteligência Artificial, com o intuito de endereçar temas de impacto social e econômico.

“A área de inteligência artificial (IA) é um infinito de possibilidades. Neste momento de intenso combate contra a covid, estamos tendo análises de milhares de moléculas, análises teóricas de potenciais vacinas, análises de centenas de milhões de dados, tudo com o apoio de IA, gerando mais efetividade e diminuindo o tempo para soluções corretas”, afirma o diretor científico da FAPESP, Luiz Eugênio Mello.

O Centro de Inteligência Artificial terá cinco focos iniciais. São eles:

  • AgriBio – modelos de causa e efeito para processos de tomada de decisão com incerteza para o setor de agricultura;
  • KEML (Knowledge-Enhanced Machine Learning) – Aprendizado de máquina integrado com conhecimento simbólico com foco na Amazônia Azul (Blue Amazônia Brain);
  • Modelamento de AVCs usando técnicas multimodais de análise de redes para melhorar diagnósticos, tratamento e reabilitação;
  • IA em países emergentes: políticas públicas e o futuro do trabalho;
  • PLN (Processamento de Linguagem Natural) de última geração para o português;

Os comitês

Três comitês distintos ficarão responsáveis por fomentar e ampliar discussões de interesse do país, a fim de que os projetos desenvolvidos no C4AI tenham aplicações reais para a sociedade e empresas brasileiras.

O comitê internacional avaliará o progresso científico do Centro. Já o comitê de indústria e sociedade deverá colaborar para que os estudos consigam o maior impacto possível. Ele será formado por representantes de empresas, órgãos públicos e sociedade civil. Por fim, o comitê de sociedade e inclusão tem a função promover a participação de setores mais excluídos da sociedade no Centro, como mulheres e afrodescendentes. (Com assessoria de imprensa)

FONTE: TeleSíntese
(Excelente website de notícias! Recomendo!)