Governos vão gastar US$ 15 bilhões com IoT em 2020, a maior parte em vigilância

Os governos do mundo inteiro vão gastar mais neste ano com internet das coisas, principalmente em tecnologias de vigilância em massa. Dados da empresa de pesquisa de mercado Gartner indicam que as compras dos Estados devem totalizar US$ 14,7 bilhões neste ano, um aumento de 6% sobre 2019.

A maior parte dos gastos diz respeito a soluções para cidades inteligentes.

“Os governos estão aumentando seus gastos com câmeras de vigilância externas para melhor monitorar o crime nas cidades. Como consequência do COVID-19, os equipamentos também estão sendo utilizados para rastrear o cumprimento das medidas de prevenção e segurança”, afirma Kay Sharpington, Analista e Diretora de Pesquisa do Gartner. A empresa não divulgou recorte para o Brasil.

Ela calcula que, no mundo, os governos implementem cerca de oito câmeras a cada mil habitantes urbanos até 2021. No ano passado, havia seis câmeras por mil pessoas nas cidades do globo.

A China é o principal contribuinte para o crescimento dos gastos com vigilância externa. O governo chinês está investindo em câmeras que utilizam técnicas avançadas de reconhecimento facial e implantará 32 câmeras a cada mil habitantes para monitoramento até 2021, contra 27 câmeras por mil registrados em 2019.

No total, a região da China continental será responsável por 48% dos gastos com eletrônicos e comunicações em 2020, enquanto os Estados Unidos e a Europa Ocidental representarão 16% e 15%, respectivamente.

Cinco principais gastos governamentais de eletrônicos e canais de comunicações para IoT, comparando de 2019 a 2021 (em bilhões de dólares)

Caso de Uso 2019 2020 2021
Vigilância Externa 6,2 6,7 7,6
Pedágio Rodoviário e Gestão de Tráfego 1,9 1,6 2,0
Iluminação Pública e Externa 2,0 1,7 1,9
Rastreamento de ativos em cidades 1,4 1,6 2,0
Coleta de Evidências Policiais 0,6 0,9 1,3
Outros 1,9 2,1 2,5
Total 13,9 14,7 17,4

Fonte: Gartner (Outubro de 2020)

O Gartner também afirma que os governos estão usando mais drones para controlar o tráfego e enfrentar desastres naturais, como incêndios. A consultoria prevê que o número de drones para a operação de bombeiros e da polícia crescerá de 1 para cada 58.000 habitantes em 2019 para 1 para 18.000 habitantes em 2021. (Com assessoria de imprensa)

FONTE: TeleSíntese
(Meus agradecimentos a este website que proporciona sempre novidades!)