Governo lança programa de banda larga para a Amazônia

O Ministério das Comunicações lançou hoje, 12º, em solenidade no Palácio do Planalto, o Programa Norte Conectado, com o anúncio de realização do primeiro trecho de backbone de fibra  óptica, ligando a capital do Amapá, Macapá, à cidade de Santarém, no oeste do Pará.

Esse trecho envolvendo 650 km de fibra óptica com capacidade superior a 100 Gb/s e instalação de pontos de acesso à banda larga por satélite. Depois, o programa seguirá rumo a Manaus até chegar a Tabatinga, no extremo oeste do Estado do Amazonas, na fronteira com a Colômbia.

“Então hoje estamos anunciando que já vai começar esse trecho, que será o primeiro de nove porque nós queremos mais oito etapas e vamos chegar até o oeste da Amazônia, até Tabatinga. Com o final do projeto o investimento será de 1 bilhão de reais para atingir 9.3 milhões de brasileiros”, destacou.

Sobras do leilão da 4G

Em seu pronunciamento, Faria sinalizou novamente disposição de utilizar sobras do leilão da 4G, no valor de R$ 1,4 bilhão, para ser aplicado na melhoria da conectividade na Amazônia e em outras áreas sem acesso à internet.

“Estamos conversando com a Anatel que nós queremos levar internet para quem não tem. Esse projeto que começa de Macapá a Tabatinga  vai beneficiar 9 milhões de pessoas. Se nós temos hoje 43 milhões de pessoas sem internet só com esse projeto nós vamos resolver cerca de 25% do problema que temos no Brasil. Então vou precisar de parceria da Anatel e do TCU para que consigamos levar internet e TV digital, porque na região norte muitas TVs são analógica”, acrescentou.

O programa reúne um conjunto de ações que vão desde a construção de uma infraestrutura de telecomunicações em fibra óptica, com capacidade superior a 100 Gb/s, até a instalação de pontos de acesso à banda larga por satélite.

Na primeira fase do programa será construído o primeiro trecho do backbone de fibra óptica – canal por onde pode trafegar grande quantidade de dados – que interligará Macapá/AP, Alenquer/PA, Almeirim/PA e Santarém/PA. Esse primeiro trecho, de 650 km, vai alcançar 165 escolas, além de tribunais e hospitais, beneficiando uma população de mais de 950 mil habitantes. A estimativa é que essa etapa seja concluída no primeiro semestre de 2021.

O empreendimento foi possível por meio de uma parceria entre Ministério das Comunicações, Conselho Nacional de Justiça, Ministério da Educação e Senado Federal (a partir de Emenda Parlamentar do Senador Davi Alcolumbre). “Com essa união de esforços estamos levando maior integração, mais saúde, conhecimento e lazer, além de ampliar as possibilidades de trabalho e renda”, ressaltou o ministro das Comunicações, Fábio Faria.

Para o primeiro trecho do programa, o Ministério das Comunicações já disponibilizou R$ 25,2 milhões; o Conselho Nacional da Justiça, R$ 7,7 milhões; o Senado Federal, R$ 6,15 milhões e Ministério da Educação, R$3 milhões, totalizando R$42 milhões. Esses valores serão somados aos recursos pré-existentes para o projeto.

Infovia e satélite

Ainda em 2020, o Ministério das Comunicações mobilizará o levantamento hidrográfico, o licenciamento ambiental e o início da construção de um novo trecho da infovia, que interligará Santarém/PA a Manaus/AM. O projeto, como um todo, prevê nove infovias lançadas através dos diferentes rios da região Amazônica, somando cerca de 10.000 km, interligando 59 municípios diretamente e atendendo a uma população de aproximadamente 9,2 milhões de habitantes.

Segundo a assessoria da pasta, o governo atingiu a meta de levar 7.476 pontos de internet por satélite para escolas de regiões carentes em todo o país. Com isso, foi possível alcançar cerca de 2.600.000 alunos por todo o Brasil. Dessas escolas, mais de 80% estão nas regiões Norte e Nordeste. Na Região Norte são 3.192 antenas, atendendo 378 municípios e 2.122 escolas rurais. (Com informações do Ministério das Comunicações)

FONTE: TeleSíntese
Nossos sinceros agradecimentos aos autores da publicação!