Google enganou usuários Android sobre coleta de dados de localização, decide corte australiana

O Google terá de enfrentar penalidades da Austrália por desinformar usuários de Android acerca de dados de localização. A big tech continuava a coletar essas informações mesmo quando os usuários não haviam permitido, conclui a Corte Federal australiana.

A acusação foi feita pela Comissão de Competição e Consumo da Austrália (ACCC), que regula o direito dos consumidores no país. De acordo com o regulador, se o usuário desativasse o Histórico de Localização, mas deixasse a configuração Atividade na Web e de Apps ligada, o Google continuava a coletar dados de localização. Isso ocorreu de janeiro de 2017 a dezembro de 2018.

Em sua decisão publicada na sexta, o juiz Thomas Thawley considerou que essa coleta de dados foi “parcialmente” enganosa. Também, disse que usuários “agindo de forma razoável” não teriam pensado que dizer sim ao rastreamento de Atividades de Web e App daria permissão para usar os dados de localização. Isso porque não havia “referência específica de localização”.

O presidente  da ACCC, Rod Sims, comentou que esse é o primeiro resultado que o regulador tem de uma série de casos relacionados à plataforma digital. “A decisão de hoje é um passo importante para garantir que as plataformas digitais sejam francas com os consumidores sobre o que está acontecendo com seus dados”, disse.

Além das penalidades, que ainda não foram definidas, a ACCC quer que o Google seja obrigado a publicar um aviso para consumidores australianos. Nele, a big tech deverá explicar melhor a sua política de dados de localização.

Por sua vez, um representante do Google discordou da decisão do juiz. Agora, a companhia está avaliando entrar com recurso contra o veredito. “Fornecemos controles robustos para dados de localização e estamos sempre procurando fazer mais – por exemplo, recentemente introduzimos opções de exclusão automática para o Histórico de localização, tornando ainda mais fácil controlar seus dados”, disse ele. (Com agências internacionais)

FONTE: TeleSíntese
Aproveito a oportunidade para renovar meus protestos de respeito e consideração aos autores da publicação original.