GAPE: Instalado o grupo que vai cuidar da conexão de escolas

GAPE: Instalado o grupo que vai cuidar da conexão de escolas
Crédito: Freepik

Aconteceu hoje, 21, a reunião de instalação do Grupo de Acompanhamento do Custeio a Projetos de Conectividade de Escolas (GAPE). O grupo será responsável por supervisionar a alocação dos R$ 3,5 bilhões em recursos levantados com a venda de lotes na frequências de 26 GHz no leilão de espectro feito pela Anatel em novembro.

As empresas que compraram frequências – Algar Telecom, Claro, Neko, Vivo e TIM – terão como obrigação levar internet de alta velocidade a escolas publicas apontadas pelo MEC. Conforme contou o conselheiro Vicente Aquino ao Tele.Síntese no começo do mês, o primeiro trabalho do Gape será mapear as unidades de ensino que precisam de acesso.

A reunião de instalação foi conduzida pelo Presidente do Gape, Vicente Aquino, e teve a presença dos membros indicados pelo Ministério das Comunicações, Ministério da Educação e proponentes vencedoras na faixa de 26GHz, além do secretário do grupo, o superintendente de Planejamento e Regulamentação da Anatel, Nilo Pasquali.

A relação dos titulares e suplementes sofreu pequenas modificações em relação à primeira versão, publicada em 8 de dezembro. Houve trocas entre titulares e suplentes no caso do Ministério das Comunicações e da Claro.

A composição final o ficou assim:

Prestadora/Ministério

Titular

Suplente

Ministério das Comunicações

Pedro Lucas da Cruz Pereira Araújo

Daniela Naufel Schettino

Ministério da Educação

Ana Caroline Santos Calazans

Álvaro José de Andrade Carneiro

Algar Telecom S.A.

Neiva Miranda Coelho

Margaret Cadete Moonsammy

Claro S.A.

Antonio Oscar de Carvalho Petersen Filho

Monique Pereira Ibitinga de Barros

Neko Serviços de Comunicações Entretenimento e Educação Ltda.

Ara Apkar Minassian

Luiz Faria Quintão

Telefônica Brasil S.A.

Camilla Tedeschi de Toledo Tapias

Anderson Emanuel de Azevedo Gonçalves

TIM S.A.

Marcelo Concolato Mejias

Marcio Couto Lino

O GAPE é um dos dois grupos previstos no edital do leilão 5G que vão supervisionar a alocação das obrigações pelas compradoras de espectro. O outro grupo é o GAISPI, presidido por Moisés Moreira, que foi instalado há duas semanas e terá o desafio de coordenar a limpeza da faixa de 3,5 GHz a partir da realocação de canais de TVRO para a Banda Ku; a construção de rede privativa do governo federal; e a construção de rede óptica na Amazônia.

FONTE: TeleSíntese
(Excelente website de notícias! Recomendo!)