EUA atinge maior fabricante de chips da China com sanções

EUA atinge maior fabricante de chips da China com sançõesDepois de mirar na Huawei, na ByteDance e na Tencent, entre outros, o governo dos Estados Unidos (EUA) impôs sanções à maior fabricante de chips da China, a Semiconductor Manufacturing International Corporation (SMIC).
O Departamento de Comércio enviou uma carta às empresas norte-americanas informando-as que exigirão licenças para exportar certos produtos para a SMIC. A agência escreveu:
[As exportações] podem representar um risco inaceitável de desvio para uso militar na República Popular da China.

EUA atinge maior fabricante de chips da China com sanções

A SMIC é a espinha dorsal do plano da China de se tornar tecnologicamente autossuficiente, reduzindo sua dependência de empresas americanas para hardware e software. O governo espera que a SMIC desempenhe um papel importante em sua iniciativa.
EUA atinge maior fabricante de chips da China com sançõesDepois de mirar na Huawei, na ByteDance e na Tencent, entre outros, o governo dos Estados Unidos (EUA) impôs sanções à maior fabricante de chips da China, a SMIC.
Em junho, o SMIC saiu da Bolsa de Valores de Nova York para fazer uma oferta pública no STAR Market de Xangai. Já tendo sido afetada pelas sanções da Huawei, a SMIC alertou em seu prospecto de IPO que o governo dos EUA poderia apertar ainda mais as sanções.
A SMIC usa equipamento e software dos EUA em seu processo de fabricação. Portanto, as sanções podem acabar atingindo a Qualcomm (acredita-se ser a segunda maior cliente da SMIC depois da Huawei).
Em suma, a SMIC afirma que não foi notificada das sanções pelo governo dos EUA; a SMIC acrescentou que não tem relação com os militares chineses e não fabrica para nenhum usuário final militar.
Por fim, caso queira ler mais matérias sobre código aberto, Linux, Android, hardware, internet, programação e ficar atualizado com as novidades do mundo da tecnologia, acompanhe as matérias no canal do Sempre Update no Telegram.
Fonte: Tech Spot
Presidente da Huawei classifica as proibições dos EUA como “agressão ininterrupta”

Nem mesmo empresas chinesas querem trabalhar com a Huawei

Huawei afirma que o Harmony OS 2.0 está quase pronto

FONTE: Blog SempreUpdate
(Meus agradecimentos a este website que proporciona sempre novidades!)