Ericsson compra provedor de nuvem Vonage por US$ 6 bi

Vonage. Crédito: Freepik
Crédito: Freepik

A Ericsson fechou negócio para comprar o provedor de comunicação de nuvem, Vonage Holdings, pelo valor total de US$ 6,2 bilhões, o que representa US$ 21 por ação. A aquisição corresponde a meta da Ericsson de se expandir como uma empresa de internet sem fio pelo mundo. A sueca deseja aumentar seu valor de mercado para US$ 700 bilhões até 2023. Os produtos gerados pela fusão devem contribuir com em torno de US$ 400 milhões até 2025.

“A aquisição de Vonage é o próximo passo para entregar nossa prioridade estratégica. Vonage nos fornece uma plataforma para ajudar clientes a monetizar os investimentos dentro da rede, beneficiando desenvolvedores e negócios”, comenta o presidente e CEO da Ericsson, Börje Ekholm.

Com a parceria, a Vonage terá acesso às redes de API para 4G e 5G globais de forma unificada. Segundo Ekholm, isso permitirá que provedores de serviços de comunicação monetizem sua infraestrutura de rede ao criar novas fontes de renda baseadas em API. A fusão entre as companhias contou com aprovação unânime pelo Conselho Administrativo da Vonage.

A Plataforma de Comunicação da Vonage (VCP), baseada em nuvem, tem 120 mil clientes e cerca de 1 milhão de desenvolvedores inscritos. A plataforma oferece soluções UCaaS (Unified Communications as a Service) e CCaaS (Contact Center as a Service). A VCP responde por 80% da receita da companhia, cujas vendas foram de US$ 1,4 bilhão no ano entre setembro de 2020 e de 2021.

Para a Ericsson, o negócio se baseia no sucesso da integração com a fornecedora de soluções WAN Edge 4G e 5G, Cradlepoint, em setembro de 2020. A companhia tem interesse no mercado de CCaaSP, que tem projeção de expansão de 30%. O segmento deve chegar a valer US$ 22 bilhões até 2025.

A sueca pretende pagar a aquisição com recursos de caixa existentes, que totalizaram SEK 88 bilhões (US$ 9,8 bilhões) em setembro de 2021 em base bruta, e SEK 56 bilhões (6,23 bilhões) em base líquida na mesma data. (Com assessoria de imprensa)

 

FONTE: TeleSíntese
(Acesse o website do autor da publicação para mais detalhes)