Embratel leva o WiFi6 para a indústria e varejo

A Embratel vai usar a tecnologia Wi-Fi6 para o desenvolvimento de seus projetos em diversos segmentos, como indústria e varejo. O Wi-Fi 6 é uma nova geração de Wi-Fi que possui maior eficiência e capacidade em relação a geração anterior. O Wi-Fi 6 possui baixa latência, com maior capacidade de tráfego simultâneo e melhor desempenho, suportando mais dispositivos conectados sem perder a velocidade. Esta eficiência permite expansão rápida de redes hibridas (Wi-Fi e cabeada) para redes totalmente sem fio. Ideal para ser integrado a inovações tecnológicas como Internet das Coisas (IoT), o Wi-Fi 6 faz parte das estratégias da Embratel para projetos que devem se estender também para os segmentos de saúde e finanças, entre outros.

“Com o crescimento de tráfego e dispositivos IoT, os padrões de conexão sem fio precisaram evoluir para garantir uma maneira mais eficiente de lidar com essa quantidade crescente e diversificada de diferentes tipos de tráfego. A Embratel implementa a tecnologia Wi-Fi 6 nas empresas para possibilitar que os clientes estejam aptos a acessar aplicações mais sofisticadas e evoluídas, sem limitação de infraestrutura e com total capacidade técnica e suporte necessários”, afirma Alexandre Gomes, Diretor de Marketing da Embratel.

Na indústria, a Embratel já aplica o Wi-Fi 6 para os diversos dispositivos conectados entre si.  No varejo, a Embratel atua em projetos que implementam o Wi-Fi 6 para fornecer conectividade com alta eficiência, permitindo conectar diversos usuários dentro de um mesmo espaço, como lojas, garantindo uma melhor experiência de navegação para os usuários e clientes.

A capacidade do Wi-Fi 6 de identificar e priorizar diversas aplicações e as conexões mais seguras também torna a tecnologia ideal para os segmentos financeiros e de saúde, por exemplo, que trafegam diariamente informações sigilosas, sensíveis e que dependem da correta priorização destas aplicações em tempo real. “Outra importante vantagem do Wi-Fi 6 é o menor gasto de baterias dos dispositivos e sensores, que possibilita maior eficiência de cargas e, consequentemente, mais vida útil aos equipamentos. Com a tecnologia, inclusive, os dispositivos podem ficar em modo inativo enquanto não são acionados para transmitir dados”, afirma o executivo.

FONTE: TeleSíntese
(Meus agradecimentos a este website que proporciona sempre novidades!)