Criador da web, Tim Berners-Lee desenvolve um novo projeto

Criador da web, Tim Berners-Lee desenvolve um novo projetoO homem considerado criador da Web como a conhecemos, Tim Berners-Lee desenvolve um novo projeto. A revelaçao ocorreu durante a conferência Reuters Next, que ocorre desde domingo. Tim Berners-Lee, o inventor da World Wide Web (Web), reconsiderou as intenções que o levaram a montar a startup Inrupt em 2018.
E agora ele quer desenvolver uma tecnologia que dê mais poder às pessoas, em particular um “pod” de dados pessoais. Assim, segundo ele, o usuário controlará por si mesmo e poderá dar acesso a quem quiser.

Quando Tim Berners-Lee, então cientista da computação do CERN (Organização Europeia para Pesquisa Nuclear), criou a Web há 30 anos, ele a projetou em torno de padrões simples, porém poderosos, para localizar, vincular e apresentar documentos multimídia on-line.
Posteriormente, outros aproveitaram sua criação e se tornaram bilionários graças a empresas de Internet, entre elas Google, Facebook e redes sociais em geral, Amazon e Apple. De sua parte, Berners-Lee se tornou o guardião dos padrões técnicos projetados para ajudar a Web a florescer como uma ferramenta igualitária para conectar e compartilhar informações.

Criador da web, Tim Berners-Lee desenvolve um novo projeto

Criador da web, Tim Berners-Lee desenvolve um novo projeto

No entanto, hoje Berners-Lee, de 65 anos, acredita que o mundo online se desviou do propósito inicial. Para ele, essas grandes empresas formam os chamados “silos”, e sobrevivem com base nos dados alheios. Para ele, esta também é uma forma de adquirir muito poder.
Impulsionados por grandes quantidades de dados, eles se tornaram plataformas de monitoramento e guardiões da inovação. Os reguladores nos Estados Unidos e em outros lugares estão pensando da mesma maneira de resolver o problema. Eles começaram a adotar regras de proteção de dados cada vez mais rigorosas.

É o caso na Europa com o GDPR (Regulamento Geral de Proteção de Dados) ou a Lei de Privacidade do Consumidor da Califórnia (CCPA), que entrou em vigor em janeiro de 2020, que visa proteger os dados online de californianos.
Mas, de acordo com Berners-Lee, essas regras simples não são suficientes. Para ele, temos de ir mais longe se realmente queremos proteger a privacidade das pessoas. Portanto, com uma nova startup chamada Inrupt, Berners-Lee pretende resolver alguns dos problemas que pararam a web.

Qual a proposta?

Com base nas ideias desenvolvidas por um projeto de software livre chamado Solid, Inrupt promete uma Web onde as pessoas podem usar o logon único para qualquer serviço. Além disso, os dados pessoais são armazenados em pods ou lojas. Portanto, os dados pessoais online estão sujeitos ao controle do usuário. De acordo com o Inrupt, o Solid é uma tecnologia para organizar dados, aplicativos e identidades na web. Solid ajuda a fornecer opções mais ricas para indivíduos, organizações e desenvolvedores de aplicativos, aproveitando os padrões da web existentes.
As pessoas estão cansadas da falta de controle, disse Berners-Lee, cofundador e diretor de tecnologia da Interrupt, em entrevista à conferência Reuters Next. Este novo site atualizado permitirá o tipo de compartilhamento e colaboração pessoa a pessoa que ajudou no sucesso dos principais serviços de rede social, enquanto mantém o usuário no controle, disse Berners-Lee.
Os pods, ou lojas on-line de dados pessoais, são um ingrediente técnico fundamental para Berners-Lee atingir seu objetivo.

Limites nas gigantes

A ideia é que cada pessoa possa controlar seus próprios dados, sites visitados e compras com cartão de crédito. Do mesmo modo, rotinas de exercícios, streaming de música, em um cofre de dados individual, geralmente um espaço de servidor. As empresas podem acessar os dados de um indivíduo, com sua permissão, por meio de um link seguro para uma tarefa específica, como processar um pedido de empréstimo ou oferecer publicidade personalizada.
Eles podem criar links para informações pessoais e usá-las seletivamente, mas não armazená-las. Portanto, a visão do ex-cientista de TI do CERN sobre a soberania dos dados pessoais contrasta fortemente com o modelo de coleta e armazenamento de grandes empresas de tecnologia.
Fonte: https://inrupt.com

FONTE: Blog SempreUpdate
Nossos sinceros agradecimentos aos autores da publicação!