Coreia do Sul mira em implantação da 6G em 2028

A Coreia do Sul anunciou o que pretende ser a primeira rede comercial de tecnologia 6G para 2028. O governo do país já destinou KRW 220 bilhões (R$ 960 milhões) para o desenvolvimento de padrões centrais e de tecnologias 6G nos próximos cinco anos. Um dos grandes propósitos em avançar na tecnologia de sexta geração é unir redes terrestres e de satélite em uma única rede.

O veículo especializado em economia da Coreia do Sul, Aju Business Daily, reportou que a ministra de ciências e tecnologia de comunicação e informação Lim Hye-sook apresentou um plano de ação de P&D para o governo, líderes industriais e especialistas. Segundo a secretária, a 6G será uma base para a inovação digital.

Recentemente, o país aceitou cooperar com os Estados unidos na formação da sexta geração e planeja parcerias similares com Finlândia e China. A última pretende avançar na 6G entre 2021 e 2025. Especificações formais para a 6G devem chegar apenas em 2026, enquanto a maioria dos players trabalha para implementar a tecnologia em 2030. No Brasil, a Anatel informou que pretende regular a 6G a partir de 2025.

Planos da Samsung para 5G e 6G

Na Samsung, engenheiros também estão trabalhando no desenvolvimento da 6G. A companhia demonstrou uma ligação entre redes sem fio de 140 GHz de ponta a ponta usando beamforming no espectro. Em evento, a fabricante disse acreditar que a sexta geração tornará possível aplicações de realidade mista em medicina, manufatura, educação e entretenimento. 

Em relação à 5G, a Samsung informou que está se preparando para lançar uma rede comerciável 5G standalone capaz de processar até 305 Gbps de dados por servidor. Além disso, comentou que seus equipamentos foram utilizados para o primeiro 5G RAN completamente virtual nos Estados Unidos. Com isso, a Samsung destacou ter mostrado sua habilidade em suportar rádio MIMO massivo com hardware genérico.

A marca ainda vendeu 4 milhões de rádios compatíveis com a 5G. Também no evento, apresentou sua terceira geração de RFIC, a segunda geração de modens 5G e o próximo o equalizador-RFIC integrado com chip. As novidades deverão ser compatíveis com os maiores operadores de frequências médias. (Com agências internacionais)

FONTE: TeleSíntese
(Acesse o website do autor da publicação para mais detalhes)