Conselho da TIM aprova reestruturação societária

O conselho de administração da TIM Participações, holding dona da operadora móvel TIM S.A., aprovou ontem o projeto de reestruturação societária do grupo no Brasil. A iniciativa prevê a incorporação reversa pela TIM S.A. da holding. A proposta ainda tem de passar pelo crivo dos acionistas. Para tanto, uma assembleia geral extraordinária foi convocada para o dia 31 de agosto.

Após a incorporação, a TIM S.A. é que passará a ser listada na bolsa de valores brasileira, a B3, e terá também american depositary receipts (ADRs) negociados na bolsa de Nova York (NYSE).

Segundo a companhia, a incorporação tem por objetivo simplificar a estrutura organizacional do grupo e trazer eficiência, integrando unidades administrativas e financeiras. Isso permitirá, diz, “a concentração e redução dos custos operacionais e outras despesas, tais como gastos auditoria, consultores externos e estruturas de controle e alçadas de aprovação, bem como a otimização da carga tributária”.

A proposta aprovada pelo conselho prevê substituição das ações na proporção 1:1. Dessa forma, os atuais acionistas terão a mesma proporção de ações na TIM S.A. quando esta se tornar o veículo comercializado na B3. A ideia, diz a companhia, é garantir que os acionistas da holding mantenham os mesmos direitos.

Atualmente, a TIM S.A. é 100% detida pela TIM Participações. A TIM Participações, por sua vez, tem 67% de seu capital social nas mãos do grupo europeu Telecom Italia. Os outros 33% estão pulverizados no mercado. Para avaliar a operação, a empresa contratou a consultoria Apsis, especializada em fusões e aquisições, vendas, assessoria estratégia e reestruturações financeiras.

FONTE: TeleSíntese
Aproveito a oportunidade para renovar meus protestos de respeito e consideração aos autores da publicação original.