Computadores da Positivo serão usados na edução de presos no Amazonas

Oito mil e quinhentos computadores serão entregues nesta quinta-feira, 13, às Secretarias de Educação e de Administração Penitenciária do Estado do Amazonas, Seduc e Seap respectivamente, com a finalidade de contribuir para a melhoria das condições de desenvolvimento educacional e social dos alunos do 4.º ao 8.º ano da rede estadual de ensino e de detentos do sistema prisional.

Eles terão disponíveis soluções educacionais próprias para regiões com baixa ou nenhuma conectividade, que favorecem o ensino da Língua Portuguesa e da Matemática em modo off-line.

A entrega dos equipamentos faz parte do projeto Educação 4.0, idealizado pelo desembargador Wellington Araújo, à época vice-presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas, e pela juíza de Direito Lídia de Abreu Carvalho Frota, que atuava como juíza auxiliar da Vice-Presidência da Corte.

A ideia inicial era desenvolver um projeto que colaborasse para a ressocialização dos presos em cumprimento de pena, visando à reinserção social desse público por meio da educação. Conforme a juíza, o projeto foi ampliado para incluir também os estudantes da rede estadual de ensino.

Dos 8,5 mil computadores, as escolas indicadas pela Seduc receberão 7,2 mil unidades do Positivo Classmate e 31 armários de recarga e armazenamento.

Já para atividades de ensino no sistema penitenciário, serão oferecidos 1,3 mil equipamentos, também da Positivo. “Queremos ajudar a diminuir a desigualdade no acesso à educação que ainda existe por falta de conectividade e que, durante a pandemia, ficou ainda mais evidente. Nossa missão com este projeto é contribuir para a garantia do direito à equidade e à qualidade na educação”, disse Regina Silva, diretora pedagógica da unidade de tecnologias educacionais da Positivo Tecnologia.

O presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), desembargador Domingos Jorge Chalub, ressaltou que o projeto, apresentado ainda na gestão anterior, trará um reflexo muito significativo na vida de estudantes e detentos. Para Chalub, a verdadeira transformação se dá por meio da educação e os resultados para aqueles que participarão das atividades virão através de melhores oportunidades profissionais.

“O projeto é financiado pelas obrigações de pesquisa e desenvolvimento da nossa empresa com direcionamento a 100% de profissionais e entidades do Amazonas”, explicou José Goutier Rodrigues, diretor de Pesquisa e Desenvolvimento e Relações Governamentais da Positivo Tecnologia. Ao final do projeto, será avaliado o impacto gerado pela utilização da tecnologia na aprendizagem.

Para implantar o “Educação 4.0”, foi desenvolvida uma versão off-line da plataforma Aprimora, criada pela unidade de tecnologias educacionais da Positivo Tecnologia para ampliar as habilidades em Língua Portuguesa e Matemática. A solução integra recursos tecnológicos a conteúdos curriculares, favorecendo o desenvolvimento de habilidades específicas dessas áreas, ao mesmo tempo em que respeita o ritmo de aprendizagem de cada estudante.

“O projeto deve ajudar alunos, promovendo inclusão digital, e contribuindo para o processo de aprendizagem, além de encurtar o distanciamento das ferramentas utilizadas entre as redes pública e privada de ensino”, comentou o diretor-presidente do iTriad, Sérgio Junqueira. O Instituto iTriad também adaptou a solução Microsoft MakeCode ao projeto para possibilitar que estudantes criem, experimentem e coloquem em prática ideias por meio de programação computacional de maneira clara e simples. O instituto irá gerenciar o trabalho de análise de dados antes e depois do projeto para comparação e elaboração do relatório final. (Com assessoria de imprensa)

FONTE: TeleSíntese
Meu agradecimento pelas excelentes publicações!