Câmbio e Covid fazem AT&T aumentar perdas na América Latina

A desvalorização cambial nos países da América Latina, inclusive no Brasil, fez a Vrio, unidade da AT&T que explora serviços de TV paga na região, ter forte queda nas receitas no final do ano passado.

A subsidiária registrou vendas de US$ 1,5 bilhão no quarto trimestre de 2020, 14,8% menos que no mesmo período de 2019. O número engloba os resultados da Sky Brasil, da Directv nos país vizinhos e da operação de telecomunicações no México.

Os negócios latino-americanos ampliaram o prejuízo ano a ano. A contribuição para os resultados gerais da AT&T passaram de perdas de US$ 87 milhões no quarto trimestre de 2019, para perdas de US$ 167 milhões no quarto trimestre de 2020.

“Tanto a queda na receita, quanto na contribuição, se deveram à pressão do câmbio e ao impacto da Covid-9. A margem operacional da Vrio e da unidade da AT&T no México ficou negativa em 11%, comparado com os 5,1% negativos do mesmo período de 2019”, explicou a empresa no balanço financeiro divulgado nesta quarta-feira, 27.

Saída da Venezuela

Sem considerar o papel da unidade no México, a Vrio viu a perda de demanda pelo serviço de TV paga superar sua capacidade de cortar custos. Enquanto a receita com serviços de vídeo somaram US$ 762 milhões no quarto trimestre de 2020, as despesas foram de US$ 801 milhões. A margem operacional da Vrio isoladamente, que era positiva no final de 2019, tornou-se negativa em 5,1% agora.

A empresa terminou o ano com 10,9 milhões de clientes de TV paga e aplicativos de streaming. Significa uma perda de 2,4 milhões de assinantes em um ano. Disso, 2,2 milhões de clientes foram desligados em função da saída da companhia da Venezuela, em maio. Considerando apenas o quarto trimestre, a Vrio adicionou 49 mil usuários à sua base.

Resultados mundiais do conglomerado

A receita no quarto trimestre do grupo AT&T foi de US$ 45,7 bilhões, queda de 2,4% na comparação anual. No ano de 2020, a receita foi de US$ 171,8 bilhões, 5,2% menos que em 2019.

O lucro operacional foi de US$ 7,8 bilhões, queda de 15% ano a ano. O EBITDA ajustado foi de US$ 12,88 bilhões, queda de 10,3%. A companhia teve prejuízo líquido no quarto trimestre de US$ 13,9 bilhões. O mesmo valor, US$ 13,9 bilhões, tinha sido o lucro anual da companhia em 2019.  No ano como um todo, o prejuízo líquido foi de US$ 5,4 bilhões.

O conglomerado AT&T enfrentou os desafios da Covid-19 em toda sua operação. Apenas no quarto trimestre, estima impacto de US$ 740 milhões sobre os lucros. Nas receitas, os reflexos negativos chegaram a US$ 2,48 bilhões.

A empresa ressalta que houve queda no licenciamento de conteúdo e nos serviços de roaming. A WarnerMedia, que reúne estúdios da Warner e HBO, entre outros, viu a receita cair em US$ 1,55 bilhão por causa da pandemia.

FONTE: TeleSíntese
Agradecimentos aos autores originais desta publicação! Até a próxima!