Cabo subfluvial da Você Telecom custará R$ 92,5 milhões

Fabio Renato Souza | Diretor da Você Telecom – INOVAtic 2021

A operadora regional amapaense Você Telecom está investindo pesado na expansão de sua rede óptica no Norte do país. A empresa está tocando dois projetos de construção de cabo subfluvial, que vão demandar muitos recursos. Um dos trechos, que ligará Macapá a Alenquer, o que significa 700 Km, custará € 15 milhões, ou cerca de R$ 92,5 milhões ao câmbio atual.

A outra infovia circundará a Ilha de Marajó e vai ligar Belém a Macapá, e não teve o custo estimado revelado por Fabio Renato, diretor da Você Telecom que participou hoje, 9, do evento Inovatic 2021, realizado pela Bit Social e Momento Editorial.

Segundo Renato, o grande trunfo da empresa na exploração do cabo subfluvial será sua capacidade de manutenção. A Você comprou balsa própria, guindaste, e terá capacidade de chegar a pontos de eventuais rompimentos em três dias. Os reparos devem demorar de 12 horas a 48 horas. O plano de negócio da estrutura prevê rompimentos duas vezes por ano, em função do ambiente hostil que é o leito do rio, volume de água, intempéries, troncos que podem arrastar o cabo, âncoras de barcos que podem danificá-lo ou mesmo a população que pode desenterrá-lo.

A empresa já busca também complementar a rede com os cabos do Programa Amazônica Conectada, como a Infovia 00, que está em construção pela RNP e será repassado à iniciativa privada ano que vem. “A parceria que estamos buscando com a RNP é a possibilidade de swap com o cabo que lançaremos”, acrescentou Renato.

Com o investimento, a empresa fecha um anel óptico entre Macapá e Belém. “Temos um par de fibra no linhão de Tucuruí. A fibra da RNP. A CELPA tem fibra chegando em Santarém. Tem uma fibra da SEA Telecom. Quando você tem outros caminhos, aumenta a disponibilidade. Nesses 5 dias do reparo, precisa ter as outras rotas para continuar entregando o circuito”, explicou.

A Você Telecom cobre 12 cidades no Amapá e 4 no Pará. Para este ano, a intenção é crescer mais no Pará. No primeiro semestre, inaugurou rede em Barcarena. Ainda vai inaugurar operação em Altamira. “Nossa meta para 2021 é entrar nesses novos mercados e manter em dia o projeto do cabo subfluvial”, conclui. O cabo deve entrar em operação em 2022.

FONTE: TeleSíntese
Para mais detalhes, acesse o website da publicação original.