Brasil tem três laboratórios para testar dispositivos 5G

5g-conexao-crédito:freepick. Brasil
Crédito Freepick

O Brasil detém, atualmente, três laboratórios nacionais e 17 Organismos de Certificação Designados (OCDs) responsáveis pela certificação de dispositivos 5G, de acordo com a Associação Brasileira de Avaliação da Conformidade (Abrac). Hoje, 4, teve início o aguardado leilão que irá distribuir faixas para redes 4G e 5G no país.

Os laboratórios e certificadoras credenciados pela Anatel estão capacitando seus parques técnicos para testar e avaliar itens. Entre eles, estão: compatibilidade eletromagnética, segurança elétrica e características na emissão de rádio frequência que o corpo humano pode absorver.

Em junho de 2021, a autarquia publicou os requisitos técnicos de avaliação da conformidade para o 5G. A partir desse momento, as certificadoras com escopo do 4G foram designadas para atuar com a nova tecnologia. Esses espaços já podem emitir certificados de telefones celulares, estações terminais de acesso e transceptores para estação rádio base.

Durante o processo de certificação, o fabricante local seleciona um Organismo de Certificação Designado (OCD). Depois, fornece as informações técnicas sobre o produto analisado para serem determinados os padrões
e ensaios aplicáveis. Após os ensaios, o laboratório emite seu relatório. Em caso de resultado positivo, cadastra o produto na Anatel. A agência analisa a documentação e emite o certificado de homologação.

“É importante termos no país laboratórios capacitados e aptos para testar novas tecnologias conforme a realidade brasileira. Temos, por exemplo, um ambiente eletromagnético único, com alta incidência de raios, e essa existência é considerada no cenário de testes exigidos no Brasil”, comentou o vice-presidente de Telecomunicações da Abrac, Jose Eduardo Bertuzzo.

O CPQD anunciou recentemente o funcionamento de um centro em Campinas, São Paulo, para realizar ensaios de homologação de aparelhos 5G, além de testes em OpenRAN e cibersegurança. (Com assessoria de imprensa)

FONTE: TeleSíntese
(Meus agradecimentos a este website que proporciona sempre novidades!)