Associações sugerem padrões de conectividade em voo e de IoT

[Publicado no Mobile Time] A Seamless Air Alliance, uma associação de padronização de conectividade em voo fundada por Airbus, Airtel, Delta Air Lines, OneWeb e Sprint, apresentou o seu primeiro documento padrão nesta terça-feira, 18. Batizado de Seameless Release 1.0, ele estabelece as regras para levar Internet às aeronaves comerciais.

Por meio do documento, a associação traz todo o arcabouço técnico com as necessidades e informações para empresas que desejam entrar no negócio de conectividade em voo. Entre as diretrizes abordadas estão equipamentos, serviços, tipos de conectividade e bandas, além de integração e operação em redes onboard.

O intuito do documento é levar segurança à conexão W-Fi dos usuários em voo, e mostrar as oportunidades de negócios para operadoras e companhias aéreas. Além de eliminar a necessidade de gastos com dinheiro e tempo das companhias aéreas que tentam entender o uso das telecomunicações em voo.

O documento completo está disponível para o público e pode ser baixado aqui.

IoT padronizado

Por sua vez, a associação oneM2M uniu forças com outro grupo de associados, a IoT Connectivity Alliance (ICA), para criar padrões para a Internet das Coisas (IoT). No acordo firmado nesta terça-feira, 18, as duas organizações compartilharão suas especificações, de forma que ajude a criar documentos de padronização do IoT, e, assim, criar um ecossistema seguro e interoperável.

Criada pelo Alibaba em 2018, a ICA tem Qualcomm, Bosch, Schneider Eletric, Midea, Panasonic, Gemalto e Texas Instruments. Por sua vez, a oneM2M tem mais de 200 grandes empresas afiliadas, como AT&T, Qualcomm, Amazon, Gemalto, Huawei e Telefónica.

]]>

[Publicado no Mobile Time] A Seamless Air Alliance, uma associação de padronização de conectividade em voo fundada por Airbus, Airtel, Delta Air Lines, OneWeb e Sprint, apresentou o seu primeiro documento padrão nesta terça-feira, 18. Batizado de Seameless Release 1.0, ele estabelece as regras para levar Internet às aeronaves comerciais.

Por meio do documento, a associação traz todo o arcabouço técnico com as necessidades e informações para empresas que desejam entrar no negócio de conectividade em voo. Entre as diretrizes abordadas estão equipamentos, serviços, tipos de conectividade e bandas, além de integração e operação em redes onboard.

O intuito do documento é levar segurança à conexão W-Fi dos usuários em voo, e mostrar as oportunidades de negócios para operadoras e companhias aéreas. Além de eliminar a necessidade de gastos com dinheiro e tempo das companhias aéreas que tentam entender o uso das telecomunicações em voo.

O documento completo está disponível para o público e pode ser baixado aqui.

IoT padronizado

Por sua vez, a associação oneM2M uniu forças com outro grupo de associados, a IoT Connectivity Alliance (ICA), para criar padrões para a Internet das Coisas (IoT). No acordo firmado nesta terça-feira, 18, as duas organizações compartilharão suas especificações, de forma que ajude a criar documentos de padronização do IoT, e, assim, criar um ecossistema seguro e interoperável.

Criada pelo Alibaba em 2018, a ICA tem Qualcomm, Bosch, Schneider Eletric, Midea, Panasonic, Gemalto e Texas Instruments. Por sua vez, a oneM2M tem mais de 200 grandes empresas afiliadas, como AT&T, Qualcomm, Amazon, Gemalto, Huawei e Telefónica.

]]>
https://teletime.com.br/18/02/2020/associacoes-sugerem-padroes-de-conectividade-em-voo-e-de-iot/feed/ 0

FONTE: TELETIME NEWS
Agradecimentos aos autores originais desta publicação! Até a próxima!