Apple empacota serviços próprios OTT em uma única oferta

A Apple anunciou hoje, 15, que vai começar a vender ainda neste trimestre um pacote reunindo todos os seus serviços digitais. O pacote, batizado Apple One, terá três modalidades – individual, família e premier – com preços que variam de US$ 14,95 a US$ 29,95 lá fora, e R$ 26,50 a R$ 37,90 no Brasil.

A diferença entre cada pacote reside no número de aplicativos fechados aos quais o cliente terá acesso. No caso do pacote individual, o assinante pode usar o Apple Music, o Apple TV+, o Apple Arcade e armazenar até 50 GB de dados na iCloud.

O plano família tem os mesmos apps, mas conta com 200 GB na iCloud e permite o acesso de até seis familiares aos serviços.

Já o plano premier tem a mais os apps Apple News+, Apple Fitness+ (lançado hoje), 2 TB de iCloud e também compartilhamento de acesso com até seis pessoas. A versão premier estará disponível apenas na Austrália, no Canadá, no Reino Unido e nos Estados Unidos, pois o Apple News+ existe apenas neste lugares.

Os demais serão vendidos em 100 países, incluindo o Brasil. Aqui, o plano individual custará R$ 26,50 por mês, enquanto o familiar sai por R$ 37,90. A fatura é uma só, apesar de assinatura incluir, no caso brasileiro, quatro OTTs. As vendas locais começam “ainda este ano”, informa a empresa.

O lançamento do pacote que pretende rivalizar ao mesmo tempo com Netflix, Disney+, Globoplay, Spotfy e Deezer se deu no evento anual da empresa realizado hoje. Ali também foram apresentados novas gerações do tablet da companhia e de seu relógio inteligente.

Novo iPad Air

A Apple anunciou a nova geração de seus iPad Air, tablet topo de linha com tela de 10,9 polegadas, câmera traseira de 12 MP, novo senso de digitais.

O produto vem com o novo chip da companhia, o A14 Bionic que, segundo a Apple, é 40% mais potente que qualquer processador usado nos aparelhos do grupo até então, e tem desempenho gráfico 30% superior. O chip tem seis núcleos de processamento, quatro núcleos gráficos, 16 núcleos neurais para uso de inteligência artificial e aprendizagem de máquina. As vendas do novo Air começam no próximo mês.

Amanhã a Apple começa a disponibilizar a atualização do sistema operacional do iPad, o iPadOS 14, que trará melhorias na interação com a caneta digitalizadora da marca, mais recursos para o FaceTime (app de videoconferência da Apple), busca universal, novas interfaces de menus laterais e widgets.

O modelo mais barato do novo iPad Air custará no país R$ 7 mil, contendo 64 GB de armazenamento interno e conectividade WiFi apenas. A versão com conectividade celular (4G) e 256 GB de armazenamento sai por R$ 10,3 mil.

iPad 8

Já a versão mais simples do iPad chegou à geração 8 e traz um chip menos potente, o A12 Bionic. A velocidade de processamento, diz a empresa, é 40% superior, e a capacidade gráfica dobrou.

Segundo a Apple, o produto é três vezes mais rápido do que o tablet Android “mais vendido” ou duas vezes mais rápido que o computador com Windows “mais vendido”. Vale destacar que produto mais vendido não é o produto de melhor desempenho. A Apple não apresentou comparações com os notebooks Windows ou tablets Android mais sofisticados.

O armazenado é de 32 GB na versão de entrada, com WiFi apenas. O preço começa em R$ 4 mil (US$ 329 nos EUA, antes de impostos). A versão com 128 GB e conectividade móvel sai por R$ 6,8 mil.

Novos relógios

A empresa também anunciou o Apple Watch Series 6, versão do relógio inteligente que traz capacidade de medir a oxigenação do sangue, altímetro, novas cores. No Brasil, a versão mais barata custa R$ 5,4 mil.

Mas a Apple também lançou uma versão mais simples do relógio, o Watch SE, que tem preço inicial de R$ 3,8 mil. Há uma versão com conectividade celular fornecida por Claro ou Vivo, o que não existe na linha de entrada chamada Watch 3. Mas não traz o sensor de oxigenação.

FONTE: TeleSíntese
Meu agradecimento pelas excelentes publicações!