Apple com ARM ameaça domínio da Microsoft e Intel

Apple com ARM ameaça domínio da Microsoft e IntelA Apple está migrando o uso de chips abandonando a Intel e partindo com tudo para ARM. A alegação é ter mais controle de qualidade e melhor desempenho dos equipamentos. Um dos efeitos colaterais dessa decisão é forçar, necessariamente, a Microsoft a realizar melhorias em relação ao Windows e ARM no seu Surface Pro X e outros modelos lançados pela empresa. Ao mesmo tempo, por outro lado, isso deve prejudicar seriamente a aliança Windows-Intel x86.
Isso pelo menos é o que prevê Jean-Louis Gassée, autor do blog Monday Note e ex-executivo da Apple durante os anos 80, principalmente nos anos da empresa sem o cofundador Steve Jobs no comando. Gassée acha que a mudança da Apple deixa a Microsoft sem muita opção.
Ou esqueça o Windows on Arm e ceda os PCs modernos para a Apple ou avance, corrija problemas de compatibilidade de aplicativos e ofereça uma alternativa baseada em Arm para os novos Macs da Apple, escreveu Gassée em um artigo intitulado ‘Apple Silicon: The Passing of Wintel‘. 
É um dilema falso, é claro. A Microsoft seguirá em frente … com repercussões para o restante da indústria de PCs com Windows.

Apple com ARM ameaça domínio da Microsoft e Intel

Apple com ARM ameaça domínio da Microsoft e Intel
Gassée se pergunta o que os OEMs do Windows, como Asus, Dell e HP, farão se a Apple elevar a qualidade do Arm nos Macs, e a Microsoft responder com melhores dispositivos Arm Surface.
” (…) a Apple não só fabricará Macs melhores, como também forçará a Microsoft a aperfeiçoar seu Windows on Arm, tanto hardware quanto software”, ele escreve.

Para competir, os fabricantes de PCs terão que seguir o exemplo, eles ‘go Arm’ porque, com toda a retórica defensiva à parte, Apple e Microsoft farão com que a arquitetura x86 pareça o que realmente é: velha.
A Intel, na visão de Gassée, está em uma posição pior agora do que quando perdeu a guerra dos smartphones. Naquela época, ele falhou em smartphones por causa de quanto dinheiro estava ganhando com a arquitetura x86, graças ao duopólio Intel-Windows.
Agora, essa união, essa vantagem está prestes a desaparecer. A Intel enfrentará SoCs baseados em Arm rodando Windows on Arm com aplicativos, em quantidades semelhantes a PC, a preços mais baixos, escreve ele.
Isso deixa a Intel com um único caminho: se você não pode vencê-los, junte-se a eles. A Intel retomará uma licença Arm (vendeu seu negócio XScale baseado em Arm para a Marvell em 2006) e apresentará uma oferta Arm SoC competitiva para PC OEMs.
O campo SoC baseado em ARM está cheio de concorrentes afiados, como Qualcomm e Nvidia, que certamente serão acompanhados pelo arquiinimigo AMD e outros, todos inaugurando uma nova era de PCs.

Há divergências

Porém, o ex-chefe do Windows, Steven Sinofsky, não acha que a Microsoft esteja na mesma posição que a Apple para se beneficiar de uma transição para CPUs baseadas em Arm para o sistema operacional de desktop.

Apple Silicon: The Passing of Wintel” @gassee?https://t.co/EsP43pUtA7 // Apple can make ARM compatible with macOS APIs (for now) *because* it has safe, secure, efficient… ARM OS on phones/iPads. Microsoft would just have the messy silicon transition without the ARM upsides. pic.twitter.com/RHqLjeIpQP
— Steven Sinofsky (@stevesi) July 12, 2020

A Apple pode tornar o Arm compatível com as APIs do macOS (por enquanto) * porque * ele possui segurança, proteção e eficiência … Arm OS em telefones/iPads. A Microsoft teria uma transição desordenada sem a vantagem do Arm, escreveu Sinofsky.
Gassée participou do fracassado projeto Newton PDA da Apple. Além disso, depois de sair em 1990 como defensor da estratégia de high-margin da Apple, criou o BeOS que rodava em um clone do Mac.
A Apple quase adquiriu a Be em meados dos anos 90. Contudo, acabou comprando o NeXT da Job, cujo sistema operacional se tornou a base do Mac OS X. Em 2002, fez um acordo da Microsoft depois de acusá-la de criar acordos com OEMs para impedir a instalação do SO no Windows.
ZDNet

FONTE: Blog SempreUpdate
(Acesse o website do autor da publicação para mais detalhes)