Anatel acompanha teste de rede privativas em Santa Catarina

Leonardo Euler de Morais (à esquerda) Presidente da Anatel - Foto: Divulgação
Leonardo Euler de Morais (à esquerda), presidente da Anatel – Foto: Divulgação

Leonardo Euler de Morais e Vinícius Caram, respectivamente presidente e superintendente de Outorga e Recursos à Prestação, da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), participaram nesta quarta, 28, do lançamento do Open Lab 5G, do Grupo WEG/V2COM.

Segundo o órgão regulador, o laboratório, localizado em Jaraguá do Sul (SC), busca acelerar o desenvolvimento de soluções para a indústria por meio da tecnologia 5G. A visita às instalações foi acompanhada também pelo presidente da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), Igor Calvet, e os CEO da WEG, Harry Schmelzer, e da V2COM, Guilherme Spina.

Em novembro de 2020, Anatel e ABDI acertaram Acordo de Cooperação Técnica (ACT) para a realização de testes de desempenho e convivência das redes privativas do 5G. Os estudos envolvem diversos ambientes, modelos e cenários de aplicação, como indústria 4.0, agronegócio e cidades inteligentes.

Os resultados e as informações técnicas obtidas nesse processo serão utilizados pela Anatel para aprimorar a gestão do espectro radioelétrico e, assim, permitir à indústria brasileira acesso a um portfólio de soluções de conectividade mais eficiente e robusto.

Os primeiros estudos em ambiente industrial foram realizados no primeiro semestre deste ano pelo Grupo WEG/V2COM com a colaboração do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPqD), das fabricantes Qualcomm, Ericsson e Nokia; e da prestadora Claro.

Dois cenários foram testados nas instalações em Jaraguá do Sul, utilizando a faixa de 3,5 GHz em aplicações de automação fabril. No primeiro foi utilizada uma rede privativa totalmente autônoma em 3.700 a 3.800 MHz, enquanto o segundo empregou um modelo híbrido, que utilizou capacidade segregada (slicing) da rede coletiva da prestadora, em 3.500 a 3.600 MHz.

Outros testes estão previstos, com novas técnicas de arranjo de rede e maior número de estações terminais conectadas simultaneamente.

Relatório

O primeiro relatório de resultados, apresentado no lançamento do Open Lab 5G, servirá de contribuição à Consulta Pública nº 30/2020 – encerrada no início de julho –, que tratou de requisitos técnicos e condições operacionais para as estações 5G Industrial em redes terrestres de baixa potência na faixa de 3.700 a 3.800 MHz. Esses testes ajudam a estressar e validar, em casos concretos, a regulamentação técnica expedida pelo órgão regulador.

Durante o lançamento do Open Lab 5G, os representantes da Anatel destacaram que a Agência está sempre aberta ao diálogo e disposta a colaborar com a indústria brasileira. Ressaltaram, também, a importância do Acordo de Cooperação, por meio do qual a Anatel espera conhecer melhor as necessidades de espectro das diferentes aplicações e modelos de negócio.

FONTE: TeleSíntese
(Acesse o website do autor da publicação para mais detalhes)