América Móvil prevê Capex de US$ 8 bi na América Latina em 2021

A América Móvil prevê investir na América Latina US$ 8 bilhões neste ano. O valor inclui aportes necessários à expansão das redes do grupo nos países em que tem presença e a compra de frequências para ativação de redes 5G.

Conforme explicou Daniel Hajj, CEO do grupo que é dono da Claro Brasil, a holding planejava investir US$ 8,5 bilhões em 2020. A pandemia, no entanto, levou diversos governos a decretarem lockdown. Nos meses de abril, maio e junho, a América Móvel praticamente não fez investimentos. O resultado ao final do ano, com três meses de estagnação do Capex, foi dispêndio total de US$ 7 bilhões.

Com os US$ 8 bilhões deste ano, o grupo prevê comprar espectro pelo menos no Brasil e na Colômbia. No México a empresa teria de avaliar se há oportunidade, uma vez que já detém faixa de 3,5 GHz ali. E na República Dominicana, acontecendo licitações.

Segundo Hajj, a empresa não tem forte pressão para investir por já possuir as melhores redes da América Latina. Para a chegada da 5G, já vinha realizando aportes há pelo menos dois anos. Quase todas as torres, afirmou, são conectadas por fibra ou micro-ondas de alta capacidade. O grupo vai investir em 5G DSS, non-standalone e standalone. “Estamos decidindo qual frequência utilizar para qual tipo de 5G”, afirmou.

O executivo explicou também que o Capex para Brasil, que não foi detalhado, já prevê incrementos de capacidade derivados da incorporação de parte da carteira de clientes da Oi Móvel. A Claro Brasil é uma das compradoras do ativo da Oi, e deve receber mais de 11,7 milhões de assinantes da rival.

Resultados de 2020

A América Móvil divulgou na noite de ontem, 9, os resultados de 2020.  A companhia registrou crescimento de 0,9% nas receitas, que totalizaram US$ 50,78 bilhões. O EBITDA (lucro antes de impostos, juros e amortizações) foi de US$ 16,46 bilhões, 5% maior. Já o lucro líquido foi de US$ 2,34 bilhões, baixa de 30,8%.

No quarto trimestre de 2021, comparado ao mesmo período de 2019, a América Móvil apresentou queda de 3,1% nas receitas. Mas o lucro líquido saltou 80% em função de rendimentos obtidos com operações cambiais.

FONTE: TeleSíntese
Nossos sinceros agradecimentos aos autores da publicação!