Acordo entre TIM e o Banco C6 pode ser cancelado

A parceria entre a TIM e o Banco C6 passa por um momento decisivo. As empresas iniciaram um procedimento arbitral no Centro de Arbitragem e Mediação da Câmara de Comércio Brasil-Canadá (CCBC). Dependendo do que for definido ali, o contrato entre as empresas pode ser encerrado.

Segundo informou a operadora ao mercado na noite de ontem, 26, foi instaurado o Procedimento Arbitral nº 28/2021/SEC8 perante o CCBC. A iniciativa partiu da própria operadora. A arbitragem é contra o Banco C6 S.A., a Carbon Holding Financeira S.A. e a Carbon Holding S.A.., principais acionistas da instituição financeira.

O comunicação traz poucos detalhes. Informa apenas que na arbitragem “discutir-se-á a interpretação de determinadas cláusulas dos contratos que regem a parceria entre as partes. Em caso de perda, a parceria poderá ser rescindida”. Procuradas, as empresas não quiseram se manifestar além do que foi divulgado.

Participação crescente

Enquanto a arbitragem acontece, a fatia à qual a TIM tem direito sobre o C6 aumenta. A TIM revelou nos resultados do segundo trimestre que a participação dobrou desde dezembro, chegando 2,9% do capital social do banco no último trimestre.

O acordo entre a tele e o C6 prevê o pagamento por cliente da TIM que ingressar na base do C6. Atingindo-se certos índices de desempenho, a tele ganha o direito de subscrever opções de ações, que se exercidas, se convertem em fatia do capital do parceiro.

A TIM já pagou um prêmio de subscrição de ações do C6 no valor de R$12,4 milhões. Os 2,9% totais correspondem a R$ 484 milhões. No primeiro semestre do ano, a parceria com o C6 gerou receitas à TIM de R$ 31 milhões. Segundo revelou a operadora, o número de clientes seus que assinou os serviços do C6 já se aproxima de 3 milhões.

Carteira digital

Em outra frente de sua atuação no mercado financeiro, executivos da TIM afirmaram novamente hoje, 27, em conferência de resultados com analistas de mercado que está prestes a firmar parceria no segmento de carteiras digitais. A empresa tem uma “shortlist” com dois candidato e espera concluir as negociações ainda em agosto, ficando o anúncio oficial para setembro. Segundo os executivos, há conversas também para que essa carteira seja aberta à entrada de outras operadoras.

FONTE: TeleSíntese
(Meus agradecimentos a este website que proporciona sempre novidades!)