Acessibilidade: os desafios de um radioamador com dificuldades motoras

Por Steve Appleyard, G3PND.
Traduzido por Alisson, PR7GA




No segundo semestre de 2017, comecei a desenvolver uma fraqueza no braço esquerdo e, em janeiro de 2018, fui diagnosticado com ELA (esclerose lateral amiotrófica ou doença de Lou Gehrig). A fraqueza progrediu, estendendo-se até meu braço direito e ambas as mãos, e afetou cada vez mais minha capacidade de operar meus rádios. Assim, eu tive de buscar soluções para mitigar esse nível crescente de deficiência. Hoje há vários produtos que podem ajudar numa ampla gama de condições.

Usando um teclado

Muitas vezes é possível contornar a necessidade de usar um teclado utilizando as ferramentas de ditado agora disponíveis na maioria dos computadores, tablets e telefones. Eu uso esta função para enviar emails. Mesmo assim, muitas vezes preciso acessar determinada função do teclado, como quando estou inserindo detalhes em algum log. Felizmente, uma solução apareceu: o teclado na tela que acompanha o Windows 10. Basta mover o cursor sobre o teclado com o mouse e clicar com o botão esquerdo do mouse para digitar. Você pode acessar o teclado na tela em CONFIGURAÇÕES, depois em FACILIDADE DE ACESSO, TECLADO, TECLADO NA TELA. Também pode ser ligado e desligado usando o atalho: Tecla Windows + Ctrl + o.

Usando o mouse

O uso do teclado na tela requer a habilidade de mover o mouse e clicar com os botões esquerdo e direito. Quando descobri o teclado na tela, ainda podia facilmente mover o mouse e digitar com boa velocidade aliada a uma excelente função de previsão de texto. Conforme minha condição piorou, precisei adotar medidas adicionais. A primeira foi usar o mouse em uma mesa inferior em frente ao meu rádio e computador. Hoje em dia, ainda consigo mover o mouse sobre esta mesa, embora de uma forma muito mais limitada, mas não consigo mais clicar com os botões esquerdo e direito. Felizmente, encontrei uma solução para dar os cliques: um teclado acionado com os pés modelo Docooler PCsensor USB 2, que encontrei na Amazon (veja a figura seguinte). O software permite que você atribua quaisquer funções do teclado aos pedais, incluindo cliques com o botão esquerdo e direito do mouse, os quais você pode operar com os pés. Mais informações clique aqui.
Conjunto de dois pedais que utilizo para acionar os botões do mouse
Também descobri o Camera Mouse, um software gratuito que utiliza uma webcam para rastrear o movimento de sua cabeça para controlar a posição do cursor. O único hardware que você precisa para usar é uma webcam. Eu instalei-o em ambos os meus computadores desktop e eles funcionam bem, especialmente quando você ajusta as configurações para a resposta desejada.

Operando o Rádio

Meu rádio é um YAESU FT-1000MP que é conectado ao meu computador com uma interface microHAM microKEYER II, o que me permite ter o meu transceptor totalmente controlado pelo computador (CAT), com operação CW e RTTY / PSK em conjunto com o software N1MM+ (veja a Figura seguinte).
O teclado na tela do Windows 10, o programa Camera Mouse (à direita) e o programa N1MM+. No programa Camera Mouse, o cursor segue o movimento feito pelo rosto quando se mexe a cabeça. O retângulo verde serve como ponto de referência.
Basicamente utilizo o N1MM+ para controlar o rádio, selecionando o modo (CW / SSB / PSK / digital), banda, filtro e sintonia por meio do bandmap (mapa de banda) e das janelas de entrada. SSB e operação digital são bastante simples de fazer. Eu uso um pedal simples para acionar a função push-to-talk (PTT) para fazer SSB e o teclado na tela / Camera Mouse com os dois pedais que mencionei anteriormente para operar digital.

Telegrafia

Fazer CW é um pouco mais complexo. O método que uso para operação CW depende do tipo de contato que estou fazendo – se é num conteste, ou num contato rápido ou um bate-papo mais longo.

Contestes

Participar de contestes é a mais simples das três formas de contato. No passado, eu gostava de operar chamando CQ (run), no entanto, creio que não consigo escrever os indicativos de chamada e as trocas (exchange) com agilidade suficiente. Por isso, estou operando em modo “search and pounce” (procurando quem está chamando CQ), usando o bandmap/mapa da banda, o que me garante o tempo que preciso.

Contatos rápidos

Eu uso as macros (sequências de comandos) do N1MM+ com mensagens predefinidas personalizadas como base para fazer esses contatos rápidos. Cada função macro pode conter até 255 caracteres. Eu prefiro chamar CQ ao invés de responder a uma chamada para ter controle maior sobre o formato e a duração do contato. Para registrar o contato, o próprio N1MM+ me fornece a solução, salvando-os no banco de dados “DX”. Assim, o programa abre espaço para registrar o nome e comentários. Eu uso as janelas de comentários para compartilhar minha localização. Também deixei descrita a minha condição no meu perfil no QRZ.com para que os colegas possam entender melhor a forma como me comunico.

Contatos mais longos

Tenho dois métodos para gerar o código Morse para contatos mais longos. O primeiro método é usar a função de manipulador embutida do N1MM+ (acessível no menu Window / CW key). Tudo o que eu digito usando o teclado na tela com o mouse comum ou o Camera Mouse mais o pedal, é transformado em código Morse e transmitido pelo rádio.
Meu segundo método é mais inovador, usando um hardware especialmente projetado e construído por meu amigo Bruce Ashdown, G4KZT, que ele chama de “SAYMORSE CW Keyer”. Basta falar os DIs e DAs no microfone do aparelho e ele gera o sinal morse. O circuito inclui amplificação de áudio e um Schmitt trigger para produzir um chaveamento que pode ser conectado diretamente na entrada de manipulador do rádio.

Sobre o autor

Steve Appleyard, G3PND, tornou-se radioamador em 1961, enquanto estudava engenharia eletrônica. Ele seguiu carreira na indústria eletrônica, projetando equipamentos de comunicação e navegação marítima. Ele agora está aposentado. Steve editou o livro International Antennas, publicado em 2017 pela ARRL e pela Radio Society of Great Britain (RSGB). Ele também escreveu o primeiro capítulo deste livro, “Using the Reverse Beacon Network to Test Antennas”. • Ele é coautor de “Getting Started In EME”, publicado em 2019 pela RSGB. Ele pode ser contatado por email: sfappleyard@btinternet.com.




Fonte: Revista QST, Setembro de 2020, págs. 62-63.


Receba em primeira mão as notícias publicadas no QTC da ECRA!

Se você usa Whatsapp, acesse ZAP.ECRA.CLUB
Se você usa Telegram, acesse TELEGRAM.ECRA.CLUB
Ou siga o QTC da ECRA no Twitter: TWITTER.COM/QTCECRA

FONTE: Blog QTC da ECRA
Para mais detalhes, acesse o website da publicação original.