Operadoras já enviaram 84 milhões de SMS com alertas sobre coronavírus

Desde o dia 13 de março, 84 milhões de SMS foram enviadas pelas principais operadoras de telecomunicações do Brasil como forma de alertar a população sobre os riscos do novo coronavírus (covid-19). As informações foram divulgadas nesta terça-feira, 31, em comunicado publicado pelo SindiTelebrasil.

As mensagens seguem orientações do Ministério da Saúde, da Defesa Civil e da Anatel, abordando temas como a importância da permanência da população em casa, os principais sintomas da doença e outras medidas para o controle de covid-19.

Apenas para usuários que transitaram em aeroportos internacionais do País, foram enviados 763 mil SMS com recomendações sobre características do vírus e canais para atendimento de saúde. As mensagens são gratuitas, com todo o custo do envio ficando a cargo das prestadoras, afirma o SindiTelebrasil.

“A medida faz parte dos esforços que vêm sendo feitos pelas prestadoras no auxílio ao combate da doença, como ações para ampliar o acesso aos serviços para os usuários, campanhas de informação à sociedade e políticas internas para preservar os clientes e funcionários das empresas”, notou a entidade.

Desastres naturais

A prática do disparo de SMS de utilidade pública é utilizada pelo setor em outras ocasiões, como o envio de alertas para o risco de desastres naturais, como chuvas fortes, alagamentos ou baixa umidade do ar. Desde quando o serviço foi criado, em 2017, quase 855 milhões de mensagens já foram enviadas para usuários cadastrados.

]]>

A Superintendência de Administração e Finanças da Anatel acaba de publicar o Despacho Decisório 8/2020, suspendendo “excepcionalmente, até 15 de abril de 2020, a incidência de juros (SELIC) e de multa de mora sobre as obrigações inadimplidas cujo vencimento esteja compreendido no período entre 20 de março de 2020 e 10 de abril de 2020”. Esta medida foi fundamentada no parecer da Procuradoria Federal Especializada que deu o sinal verde para a suspensão, inclusive para créditos acima de R$ 50. Com isso, as empresas e o governo terão mais duas semanas para avaliar a possibilidade de medidas que incluam o diferimento dos créditos do Fistel, ou o uso dos recursos, para medidas emergenciais de enfrentamento da crise do COVID-19. A proposta das grandes empresas é criar um programa assistencial para famílias de baixa renda para manter os serviços ativos com voz, SMS e franquia de dados de 1 GB. Já o governo prefere uma solução de zero-rating para estudantes e professores de escolas públicas.

]]>
https://teletime.com.br/31/03/2020/anatel-libera-pagamento-do-fistel-ate-15-de-abril/feed/ 0

FONTE: TELETIME NEWS
(Excelente website de notícias! Recomendo!)